24 de julho de 2017

E foram-se, virão outros - que jeito?

Geladeira, secadora...PQP viu! Quebraram todos ao mesmo tempo, mereço né?

Nem dá tempo de respirar e de novo, de novo

Mas bora falar de coisa boa? Não foi nas minhas férias mas foi a coisa mais próxima de sair da rotina que fiz ultimamente. Conhecemos a Colônia Witmarsum que fica a uns 30 minutos de carro daqui de casa. Um fato: lugar pra comer! Não invente de ir lá se estiver de dieta, largue de loucura. Comida alemã em buffet livre, café colonial livre/peso/unidade... coisas muito saborosas e diferentes (purê de maçã que em outra situação o marido nunquinha comeria, mas aprovou rs).  O que mais me encantou foi a loja de artesanato que encontrei o relógio cuco. SIMMMM! Aquele original, que sai o cuco na hora cheia vindo direto da Alemanha, mas sabem como é né? Geladeira, secadora custam o preço de um relógio desses (alguns a soma dos dois rs) 😱😱😱😱😱. O museu é interessante para conhecermos uma nova religião (os anabatistas menonitas) e  sabermos um pouco de um grupo que veio para o Brasil pacífico da década de 20 (e seu branqueamento - não achem que eu esqueci disso não, muito pelo contrário) fugindo de guerras e perseguições - algo interessante sobre os menonitas é que não pegam em armas.

Já até prevejo alguém lendo e pensando/dizendo 'ah Mari, fala o nome dos lugares' não precisa, a cidade é micro kkkkkkk. Só tem 1 museu, os cafés são todos muito parecidos e os restaurantes também rs. Fomos no restaurante Bauerhaus, compramos banha e uns pães (bochecha - esqueci o nome em alemão rs) e cervejas locais no Edith's (acho que é assim que escreve). Tomamos um café magnífico chamado 'café cremoso' no Sabores (esqueci o resto, mas fica atrás do museu - lembra que só tem um? rs). Algo muito interessante é que os itens que comi lá com trigo não me fizeram mal (retirei o trigo da minha alimentação cotidiana - guardo para momentos como esse rs), a maioria das coisas que eles têm por lá é produzido localmente. Tem a cooperativa Witmarsum que fabrica queijos maravilhosos e tem um leite também. 

Se quiser ir almoçar mas não tem gosto pra porco, prefira um café colonial no Sabores (não lembro o que) ou no Edith's. Tem um restaurante/choperia que ficamos curiosos - parece ser bacana. O museu cobra entrada e é em dinheiro - não vi caixa eletrônico na cidade, só um banco cooperativa. A maioria dos locais aceitam cartão, mas nem pense que seu celular vai ficar disponível, bem difícil pegar sinal, anote as dicas quando for senão ficará que nem eu, parecendo uma doida sem mexer o telefone pra lembrar do que já tinha lido kkkkkk. Tem uma parada geológica para visitação bem no meio do caminho e quase ninguém para. Nós, curiosos que somos, não resistimos e foi bem interessante - conta um pouco das eras, o motivo das estrias estarem ali, fala do solo do PR... vale a parada (não gasta nem 20 minutos).

Ficamos só de tarde, voltamos antes da anoitecer e foi bem legal, eu gostei. Foi como almoçar na roça (menos de 60km - pra quem rodava 120km pra trabalhar foi uma passada rs), conhecer outra cultura e ouvir uma outra língua (ou seja, se entender menos na comunicação kkkkk).

A vida anda corrida, tenho pensado em muita coisa pra escrever, mas não dá tempo, preciso viver.  Beijo pessoal, bora ser feliz :D






 

 




 

23 de junho de 2017

Sobre ter o tamanho do seu sonho (ou da sua moto)

Pensa comigo, eu sou grande! Além de estar fora do padrão feminino brasileiro EU SOU IMENSA! E só me dou conta disso quando vejo alguma mulher grande e penso 'que mulher enorrrrme', aí chego do lado e tenho o mesmo tamanho 🙈.
Então não tenho como sonhar pequeno, não cabe nessa minha mega estrutura corporal rs. 

Sempre quis ter moto, sonho, obsessão, desejo... e medo, muito medo! Necessidade apareceu e pimba, precisava de uma moto com urgência! Grana curta, algo que precisava ser resolvido pra ontem e assim comprei minha pequena notável, até que ela realmente começou a se tornar pequena mesmo. É levando Bia pra escola (e a scooter não quer passar de 30km/h na ladeira - também com o peso da mochila da Bia torna-se compreensível 😂). A função principal da minha diamante negro é ir e vir (trabalho prioritariamente), mas sim, o ir e vir têm se tornado complicado devido ao peso que carrego, tamanho que tenho e experiência que estou adquirindo dia após dia montada na moto. Se ela resolve? Sim, resolve, mas eu quero mais! Sonho em pilotar um motão, não necessariamente uma HD (aceito Triumph kkkkk humilde #sqn) mas tenho medo do peso. Mas não vem ao caso isso hoje até por que não teria como ($$$) adquirir uma dessas.

Tô namorando umas por aí... quem sabe não rola um noivado e casamento?

Aguardemos ;) 

27 de maio de 2017

Continuando

Muitas vezes criamos expectativas sobre as coisas e não conseguimos dar conta do recado ou nos embolamos tanto que aquilo que era mega urgente deixa de ter sentido e a forma de encarar muda radicalmente.

Sábado e eu querendo dormir até umas 9h pelo menos e comecei a ouvir as unhas de Nero batendo inquieto pra um lado e pra outro, isso eram 6h30! Me segurei até às 7h e desci pra rotina dele e de Zeca. Passeio matinal, rolada na grama, corridinha e agora estão os dois roncando ao meu redor.  

Quando voltei com eles do passeio fiz as coisas corriqueiras, estender roupas, tirar lixo... e enquanto tomava café me peguei pensando o que eu faria com tantas horas mais disponíveis até o dia começar efetivamente. Estudar está na lista de prioridades (afinal uma pessoa que não tem o que fazer faz 3 cursos on line e se matricula em mais 1 pra começar daqui a 1 semana), preparações diversas para outros caminhos, organizar mentalmente o saldo da semana no trabalho (isso inclui tudo que vi, ouvi, absorvi e desprezei rs) e deletar o que for de ruim no resto do meu mundinho. Preciso fazer isso pois o sofrimento com tudo que está acontecendo no Brasil me desgasta demais. Tenho náuseas, enxaquecas e uma irritação profunda onde não consigo me controlar emocionalmente, logo tenho que evitar.

Mas voltando pra o início do texto, ainda tenho que arranjar uma solução para o jardim não jardim que tenho aqui, esse mato me deixa agoniada, mas a ideia de plantar, mexer com terra, etc não está cabendo nas minha prioridades. Devo ter uns temperinhos, umas coisas simples e só. Nada de muita demanda que exija tempo (coisa muito rara pra mim hoje). Voltei a minha mania metódica de ser (hora pra tudo) senão não consigo dar conta. E olha que mesmo assim tá osso.

Hoje particularmente sinto mais saudade de minha cumadre Cris. Aquelas horas intermináveis de falar besteira, comer, beber e rir. Parece até que o texto é uma conversa entre nós duas. Saudade de vc tá? Beijo na minha dindinha.

Até mais pessoas.

18 de maio de 2017

15 de maio de 2017

Minha primeira vez

Nunca tinha ido a uma festa sem tomar umas. Ainda mais véspera do meu ano novo. Nunca antes,rs... Nem me venham com 'mas não precisamos de nada pra nos divertirmos' fale por você, pq eu goxxxxto kkkkkkkkkkk.
Primeiro, ficar de pé sem porre não é legal - ou não tenho mais idade pra festivais. 
Segundo, estar de moto é de fuder pois estaciono rápido e voltamos mais rápido ainda pra casa rs.
Terceiro, cheguei aos 34. 
Lataria batida, precisando reformar umas coisas, mas continuo aqui, na batalha. Suspendi o álcool por motivos mais que necessários - mudei a alimentação, reduzi (estava em zero mas não consegui) muito os remédios pra fibro e pra dormir e uma cachaçada a 1m atrás me derrubou de um jeito que eu não contava. Ok, o fígado não é mais o mesmo, eu sei, estou tentando recuperá-lo e pra isso preciso de um tempo
Mas vamos pra parte boa da parte ruim, sei lá rs. 
Coloquei uma meta até ontem e consegui batê-la. Meu presente eu me dei!
Agora vamos partir pra outra meta, afinal o ano acabou de começar e precisamos de motivação sempre. 
Happy new year!