5 de novembro de 2017

Yes Satan, after today any day




Ontem realizei um dos sonhos que eu tinha: assistir ao show do Ira!

Tirei fotos e fiz pequenas filmagens durante o show. Nada iria traduzir a minha emoção de ver finalmente ao vivo a minha banda (mais paulista meu!) preferida rs.
Bia foi conosco e não esperava que ela ficasse tão feliz. Ela é meu sol! Ouvia muito Ira! e Cascadura na gravidez, óbvio que seria fácil ela gostar de rock rs. Mas não imaginava que ela iria se divertir como de fato aconteceu ela detesta ir pra show, menos de Liniker né? afff rs e ter ficado tão feliz de enfrentar uma fila pra tirar fotos no camarim junto com Edgar e Nasi.

Um momento que jamais irei esquecer, se eu esquecer algo dessa noite né?

 
 Tirei uma foto instantânea do Nasi enquanto ele tirava foto com outra moça (a produção não queria que tirássemos foto com a nossa câmera, mas avisei que eu queria um autógrafo nas instantâneas 😤). 
  Enquanto secava a foto tiramos a foto com Nasi e eu disse a ele: ela é meu sol, eu sou o Girassol e meu marido é minha Tarde vazia. Pedi pra ele autografar a foto dele e foi muito engraçado pois ele queria ver se era ele mesmo na polaroid hahahahaha. 

Pedi para o Edgard tirar foto conosco e ele contou que tem uma #fujifilmInstax (a tal instantânea) também... 

Nasi ofereceu refri pra Bia e ela disse que não gosta, aí foi a parte mais engraçada:
Nasi:então tem frutas, água, pode pegar o que quiser bebê! 
Edgard: Nasi olha o tamanho dessa menina, ela não é mais um bebê.
Nasi: pra mim é sim, uma criança é um bebê!

 


Rimos e pedi uma foto da Bia com o Edgard e pedi para ele autografar. 






Como estou agora? Imunidade no chão, dores de tensão em cada milímetro do meu corpo, pressão mais alta ainda e ainda emocionada. 

Após 1 mês de Bia nascer eles fizeram um show  em Salvador, e por motivos óbvios não fui. Eles separaram e assisti um show solo do Nasi (sorry, mas meu amor é por Edgard e sua guitarra rs), mas não foi a mesma coisa.
Quando estava trabalhando em Barracão soube 1 dia depois do show que eles fizeram em Francisco Beltrão (80km de lá), fiquei muito puta.
13/05/16 eles fariam show em Curitiba e eu estaria para uma reunião do sindicato, mas tinha voo pra casa, afinal dia 14 era meu aniversário (juro que trocava, mas...rs).
Primeiro semestre desse ano teve um show deles aqui e não pude ir por diversos motivos, inclusive por não conhecer direito o local e tal, mas aí me prometi que iria de qualquer jeito no próximo show. E assim o fiz!

Yes Satan, after today any day!
Sim satanás, depois de hoje qualquer dia!




22 de outubro de 2017

Aguentando

Frustração e tristeza, dia após dia está cada vez mais difícil acordar, levantar, sobreviver.

Está difícil ter perspectiva num país que só retrocede. 

Nos coloquem grilhões, nos chicoteiem!!!! 

Nos obriguem a matar nossos filhos para que não vivam como nós!

ESTÃO NOS MATANDO! 

Se eu pudesse beber... mas não! 

Seu doutor reforça a receita pois essa tá fraca e as noites estão longas demais.

28 de setembro de 2017

Fura daqui, limpa dali

E lá fui eu pra faca mais uma vez. Toda feliz pois finalmente ia tirar os parafusos e a placa e com isso retomar meu movimento completo do pé, quem sabe até andar de patins direitinho e voltar a fazer trekking sem dores, etc... E aí que nem sempre é como queremos.

Quando meu médico adentrou o quarto e explicou eu nem entendi direito, afinal ainda estava meio grogue, mas as palavras 'não tinha como tirar' ficaram ecoando. Depois de mais algumas horas foi que caí em mim que não puderam tirar os parafusos e a placa e aí veio a tristeza. O marido repetiu tudo que o médico tinha dito e eu não estava entendendo. Num primeiro momento fiquei puta, mas aí entendi que ele fez o melhor, limpou a articulação, desgastou o calo ósseo que provavelmente é onde fazia a inflamação e eu sentia mais dores (acho que é isso) e tentou tirar a placa, mas aí foi que deu problema.

Pelo que entendi na cirurgia da colocação deram uma trava a mais e com isso não tem como tirar pois o material não tem como puxar/destravar o parafuso. E caso meu médico forçasse teria o risco de quebrar o osso de novo nãoooo e ele preferiu só desgastar mais um pouco e jogar o pericárdio (acho que é esse o nome da membrana rs) por cima pra dessensibilizar  a região.

No final das contas não foram retirados os materiais, a inflamação foi limpa e o médico fez o melhor pra minha recuperação. É o que temos pra hoje e para os próximos dias. Triste? Um pouco, mas temos que ter um #PollyanaFeelings e ver o lado bom né? Deverei não sentir mais dores e isso é o que importa. Foi feito o melhor possível.

Toca pra frente que não tenho tempo pra lamentações.

 

14 de setembro de 2017

Trazer exemplos não nos livra da dor

Dei de presente de aniversário para Bia o belíssimo livro Histórias de ninar para garotas rebeldes que conta histórias sobre mulheres que fizeram/fazem parte da história que não nos é tão dita e combinamos de ler juntas.

Aí que fudeu de vez. O livro é lindo sim, maravilhoso? Também. Mas... traz toda a dor de ser mulher (ou ser preta, de ser politizada, ser de religião diversa da maioria) nas entrelinhas. Não consigo deixar de perceber isso, e me devasta, não tem como não ser. 

É um livro 'para garotas', traz uma leveza nas histórias mas não consigo não perceber algo mais. Quando vi as datas de morte de irmãs que lutavam contra um governo, imaginei o pior (e eu estava certa); quando li sobre uma norte americana que sofria racismo e vi a data de morte sabia que era da época daqueles doentes vestidos de branco (aqui não tem ibope pra esses facistas) doeu e não consegui deixar de me emocionar, a voz ficou embargada, as lágrimas vieram e não pude continuar, parei. Respirei fundo e terminei mais algumas histórias.

Vivemos um tempo difícil, penso no futuro dela, no meu e no das demais mulheres...

25 de agosto de 2017

Depois da dor veio o alívio e orientações da farmacêutica

Geralmente começo meus textos escrevendo o título e hoje não foi diferente, mas fluiu com uma facilidade enorme. Inclusive já troquei o título de alguns textos após escrevê-los. 

A mãe de uma das estagiárias que trabalha comigo me indicou um reumatologista e eu consegui uma consulta com ele bem rápido até. A princípio eu só precisava de um reumatologista para me liberar para as próximas cirurgias (isso aê rs) pois meus ortos disseram que precisavam da liberação, somado a isso tive uma crise que a muito eu não tinha. 

Lá fui eu lépida e faceira pra consulta achando que ia ser mais do mesmo e não é que tive uma surpresa positiva? Meu novo reumato é um querido e aumentou a dosagem do remédio que me acompanha a um tempo e incluiu mais um. Fora que ficou assustadíssimo quando apontei a ele o meu estado de dor quando ele me mostrou a régua (é uma de indicativos) e disse que eu estava para emergência e ficou muito surpreso quando eu disse que já tinha me acostumado a sentir dor (mais pura verdade, infelizmente). 

Na mesma noite comecei a tomar o remédio e no dia seguinte não consegui levantar. Passei o dia grogue, pensei em desistir do medicamento mas resolvi testar mais uma dose. Quarta-feira passei mal: gastrointestinal (ou seja: por cima e por baixo), tontura, sonolência... Aí de fato pensei em desistir, como eu ia ficar tomando um troço que me derruba? Mas atentei para o fato da dor ter diminuído e aí vi um post no face da Mari (minha dinda) "pergunte ao farmacêutico e não ao google", justiça seja feita que eu não tinha perguntado ao google e pior, nem lembrava de consultar minha farmacêutica. É minha né? Afinal ela tem acompanhado minhas medicações a uns anos já. Poderia dizer que ela sabe melhor que eu o que eu tomo hahahaha. Expliquei tudo que tinha acontecido e tal e ela sabiamente disse que era possível sim tudo que estava acontecendo e que eu continuasse tomando para ver se os sintomas diminuiriam ou não. 

QUE BOM QUE EU LI MINHA FARMACÊUTICA! 

A muitos anos não me sentia tão bem com uma medicação. Calma, sofri e ainda tô passando um pouco mal no começo mas a sensação de não ter dor a cada movimento é indescritível. Não sei se os dois remédios pra fibromialgia que estou usando a longo prazo não terão que ser substituídos, mas só sei que hoje é sexta e quero aproveitar toda a não-dor que não sinto :)