Páginas

28 de março de 2014

Metas, sim. Sonhos? Não sei

A muitos anos atrás sim, já estou coroa eu jamais me imaginaria optando morar numa cidade pequena. Não pequena de 100mil/hab, falo de uma cidade em que você cruza pelas mesmas pessoas mais de uma vez por dia.

Onde a coincidência não consegue ser tão coincidência assim. Mas foi uma escolha, e não me arrependi/o em momento algum até agoraEscolhi ter paz de espírito, poder andar nas ruas sem sobressaltos, poder levar minha filha na escola ou no parque andando. Escolhi ter vida. Mas claro que isso tem um custo perante meus pré-projetos.

Ouvi numa reportagem essa semana de um cara que tenta ser lutador de MMA 'eu não tenho sonhos, eles são muito abstratos, irreais, eu tenho metas...' e vou te dizer, faz tempo que não me deparo com uma frase tão carregada de realismo próximo

Refleti sobre ela no meu momento atual e se aplica perfeitamente. Decisões que foram tomadas a partir de opções disponíveis. E através delas tenho que arrumar meus sonhos, ops, metas. 


O que quero para o futuro? Quero continuar morando aqui. Gosto de ISA. Mas será que vou continuar? Xiii, aí nem eu tenho como responder. 

Por enquanto vou tirando as roupas das malas e arrumando no guarda-roupas. Se elas durarão muito tempo ali, só o tempo vai dizer ou as mudanças de metas, planos, projetos... 

É vida que segue...



16 de março de 2014

1 mês e 6 dias depois...

Nem sentiram falta das maluquices né? Tá certo... Mas vou continuar escrevendo já que sou tinhosa hehehehe

Ou melhor, vamos voltar um pouco nessa frase e dizer que voltarei a escrever em breve, pois tô numa pegada puxada aqui. Fiquei mais de mês sem internet, e não foi nem um pouco legal. Mas depoissss explico tudo, com calma e detalhes.

E pra completar ainda estou entrando no inferno astras...pense aí...

Por enquanto fico aqui, numa briga com o relógio que teima em adiantar o dia e fazer o tempo correr O_o rs

Fica por aí vivendo e quando eu voltar te explico timtim por timtim.

10 de fevereiro de 2014

Longe de casa, a mais de uma semana

'...milhas e milhas distantes...'. Vai dizer que não sentiu falta das minhas loucuras por aqui? Duvi-dê-ó-dó!

Vamos começar do começo se é que consigo lembrar. Mudamos de cidade dinovo e parece a princípio que acertamos. Ufa! Ilha Solteira/SP, 25 mil habitantes agora é mais fácil me encontrar que nunca hehehehe, cidade universitária com um campus não sei se está certo, ou campi da UNESP e uma faculdade particular. 

Tem praia fluvial, Cidade da criança Parque da Mantiqueira e zoológico. Parece pouco né? Ah, tem ciclovia no centro da cidade toda (leia-se 6km). Ah, lembrei, tem 1 sala de cinema e está abrindo outra no shopping 3D. Chique demais essa nossa cidade hein? Pra outra que não tinha nada só 1 cinema, que prefiro nem me manifestar.

A saúde pelo que ouvi funciona, odonto sim, esse já garanto rs. Escola municipal estamos testando e torcendo para que dê certo. Vocês vão acompanhar essa nossa experiência que deveria ser algo comum e não tão diferente né?.

Por enquanto sem internet decente. Só no celular e tá difícil pra não dar aquele palavrão.

Ah, Bia voltou das férias. Prefiro nem comentar o que deu errado, rs. Mas sei que ela aproveitou e se divertiu muito. Desde passeios na casa de tia Eugênia (viu Gláucia?), de Clarinha (viu Rê? rs) e com tia Cella até a visita a Alec e Presto (quem mais mora lá?). Bagunçou muito com vovó Nalva, visitou religiosamente a 'minha Ely' e voltou pra nós 1 semana depois do previsto. Foram 45 dias sem ser mãe é possível?

Mas cá estamos, aproveitando a nova cidade e tudo que ela pode nos oferecer. Até voltei a andar de bicicleta!!! Mas isso é assunto para outro post e bemmmm longo, rs.

E vou aproveitar meu espaço para:

Deixar registrada a minha minha insatisfação total e plena com o serviço da Claro 3G. Nunca, leu? Nunca fui tão desrespeitada enquanto consumidora por uma operadora de telefonia/internet móvel. Simplesmente ignoram toda e qualquer lei que nos proteja e ainda na ligação de cancelamento disse à atendente que não cancelei antes pois eles nos coagem a manter a linha sob pena de pagar multa e ela respondeu sabem o quê? Claro senhora! Tá certo que depois ficou tentando remediar pois 'esta ligação está sendo gravada...'. Não tenho, não terei e se só tiver a opção de Claro eu fico sem telefone/internet. Já cancelamos o fixo, a net e só falta acabar o prazo de fidelidade da tv (que é a única que presta dessa empresa também era embratel) para nos disvincularmos totalmente dessa catástrofe que opera na comunicação brasileira. E tenho dito como diria Medrado.

17 de janeiro de 2014

Eu faço samba e amor até mais tarde...

'...e tenho muito sono de manhã...'

Eu amo a madrugada. Sou notívaga assumida, apesar de não poder viver esse amor sempre. O barulho da geladeira, o ronco do cachorro, o som das teclas... Tudo é diferente, e muitas vezes mais intenso. Até os meus pensamentos são refrescados durante a noite, apesar do calor que faz aqui.

Coloco os próximos passos, mentalmente, em ordem. Decido se devo escrever sobre algo, ou não. Assisto um filme pela milionésima vez ou durmo durante quase todo um filme novo e depois pergunto 'môr qual pedaço eu perdi?'.

E tem marido... Quantas noites passamos conversando? Ou ele assistindo algo e eu dormindo? Ou eu insone e ele nos braços de Morpheu??? Ou até mesmo terminando uma festa surpresa, enrolando doces, pintando patinhas de coelho para a páscoa, enchendo bolas e espalhando pela casa, tudo para nossa guria. Tudo de madrugada.

Não sei se era madrugada, mas tenho uma memória afetiva muito clara, mesmo que não fosse de madrugada mas como eu dormia cedo, pra mim era não me frustem de levantar pra lamber a tigela do bolo que estava no forno. Não perguntem como eu acordava, acho que pelo cheiro êta mulher labradora heheheh

Levantei/levanto diversas vezes de madrugada só pra olhar algo que eu havia esquecido e de repente acordei e a partir daí só esperar amanhecer. Teve uma vez, no primeiro semestre da faculdade, que eu cansada de estudar para uma final de finanças e os números não faziam mais sentido, fui deitar. Quem disse? Não consegui ficar 15 minutos e meio como mágica tudo começou fazer sentido sim, dados/números financeiros tem coisas com sentido e de repente levantei, marido me segurou e perguntou onde eu ia acho que ele tem medo de eu ser sonâmbula,rs eu vou estudar! Sentei de novo na mesa e virei o resto da madrugada entre fórmulas e a minha HP12C paixão da mamãe #aloka e sim, fiz a final e passei, ufa!

Nesses 15 dias de solidão me restou tomar banho quente, já que a água nunca esfria, cuidar um pouco de mim, ler meus livros de culinária assunto para outro post e terapia rs, assistir algum vídeo interessante e esperar. 

Esperar o sono vir. Esperar que as decisões sejam tomadas de forma justa. Esperar marido voltar. Esperar minha pequena voltar. E esperar o dia amanhecer.

11 de janeiro de 2014

Cidade branca - Capital do Pantanal

Corumbá (MS) tem esse título de Cidade Branca por ser uma cidade rica em calcário (meu cabelo ficou ótimo, em compensação soube que se beber pode dar diarreia) e a tradução literal é 'lugar distante' e é longe pacar&%$#@. Ah, também foi uma das cidades responsáveis pela vitória na Guerra do Paraguai - detalhe, os Guaicurus - os índios cavaleiros, ajudaram a vencê-la, e ainda assim foram dizimados, sem comentários. Do lado tem uma cidade chamada Ladário, que é considerada a Capital da Fé do Pantanal, mas só fui de passagem pra ver mesmo.

E quente, muito quente, mas um clima diferente de Três Lagoas, gostei mais inclusive. As pessoas são muito mais receptivas e educadas no dia-a-dia, tá certo que a maior parte é gente de fora, corumbaense mesmooo só conheci 1 mulher, que a família é de lá, fora isso a maior parte é parente de militar que foram, ficaram e por aí se construiu a cidade. 

A cidade tem vida cultural, tem bons restaurantes e é mais barata que Três Lagoas! Ainda não sei como é possível isso, já que sendo tão longe... Bem, deixa pra lá. Tem um casario antigo mais ou menos preservado. lembra a nossa Cidade Baixa e Penedo/AL também. É engraçado, a gente vai descendo a ladeira de paralelepípedos e de repente vê o rio, não tem como não lembrar de Salvador. Ah, é do lado da Bolívia, tá certo que é de uma cidade sem nada, ou melhor, tem um feira de roupas ótima, bem baratas e tem um shopping que vende coisas muito mais baratas (eletrônicos, etc) que do lado brazuca, sem os impostos que nos sugam, mas tem limite de compra viu? Nada de achar que vai lavar a jega

Mas vamos ao que interessa já que não fiz nenhuma compra absurda. 

Visitei o MUPHAN, Casa Massabarro, a Estrada Parque, o Forte Junqueira, Cristo Rei Pantaneiro e os restaurante que fomos e indico são: Miguéis (comida a quilo $), Alba (comida internacional $$$), Paladar (comida diversa $), Darmaceff (picanha e outros churras rs $) e a padaria Central ($). Opa, já ia esquecendo a Sorveteria Crystal ($), como diria Bia delicious. Pois é, amo comer bem. Posso ficar acampada, mas comer é sagrado pra mim, nem vem.

Interessantíssimo o museu se não fosse pelo fato de que chegamos às 15h do dia 20/12, uma sexta-feira e às 18h encerrariam o expediente, além de entrarem de férias coletivas (!) até dia 20 de janeiro! Como isso é possível? Alguém me explica como um MUSEU FECHA NAS FÉRIAS??? Não bastasse isso, ainda solicitei a visita guiada, já que perguntei e o recepcionista informou que tinham, e depois de 20 minutos ele veio dizendo que como estamos saindo de férias coletivas, o pessoal não está disponível no momento, traduzindo pra mim, NÃO QUERIAM TRABALHAR, pois passamos por diversos funcionários conversando animadamente em corredores e salas.

Casa Massabarro - Casa de artesanato
Muito legal ver o pessoal fazendo as esculturas, pelo que entendi eles ensinam por lá o pessoal da região. Tem desde a N.S. do Pantanal até Tuiuius, símbolo da região pantaneira.

Cristo Rei Pantaneiro 

Quase toda cidade que conheço tem um Cristo num bairro alto, que geralmente se chama Cruzeiro e lá em Corumbá não é diferente. Deu trabalho, mas encontramos. Na subida tem várias esculturas feitas pela artesã mais famosa da região D. Izolda esqueci o resto que faz com pó de pedra e outras coisas que também esqueci,rs que retratam o calvário acho que é né mor?. Lá em cima tem-se a visão dos rios, da Bolívia e de toda a cidade de Corumbá. Um pôr-do-sol lá deve ser espetacular, mas já disse que sou cagona de medo? Não tem segurança, nada lá em cima, sei lá. E tinha umas caras bem estranhas quando subimos, rs... 

Estrada Parque - Pantanal propriamente dito, rs

Nunca vi um lugar pra ter tanta dificuldade de achar informações. Agências de turismo que não sabem não querem explicar e nem vendem passeio(!), só para o rio, para pescar tô fora, não me convide pra esse passeio sem pé nem cabeça.

Então vamos lá. Se estiver de carro próprio vale muito a pena você ir por conta própria (mais barato). Pegamos dicas com o Sgtº Queiroz (gente boa do Nordeste rs) lá no quartel quando fomos no Forte Junqueira, que aproveitando é bem legal também, o Sgtº Lídio (e os baianos se encontraram rs) foi quem nos guiou lá dentro e forneceu boas informações sobre a região, além de ter dado o canal pra comer bem e mais barato em Corumbá, rs.

Tá, voltando pra Estrada Parque. Não sei quantos km são precisamente, se não me engano são em torno de 120km de uma estrada ruim. Se chover e você não tiver carro traçado nem se arrisque, tem lugares que visivelmente alagam fácil. Entramos na Estrada Parque próximo à entrada de Corumbá (de quem vai os baianos me entenderão, qualquer dúvida é só perguntar), de lá é fácil seguir. São inúmeras pontes de madeira (dizem que são 87, contei em torno de 72, mas tem outros caminhos que não fomos) cada passagem era um frisson pra mim. Vale a pena ir. Precisa de paciência e um pouco de sangue frio pra fazer algumas coisas.

Vi capivaras, uma família se alimentando, sentadinhos próximo à estrada, Bia ia adorar. Nunca vi tanto jacaré por m². Vi por uma vida inteira e acho que mais umas 3 reencarnações, affff. Vi cervos, tuiuiu e várias aves que não sei identificar (Seth, Cris e Irerê sentimos falta de vocês no passeio - nossos biólogos amados). Ah, vimos um bicho tipo queixada/porco do mato, tem outro nome por lá mas não lembro, rs. Vi o periquito da cara preta e tem gente se preocupando com boi, veja só vi casas de joão-de-barro em postes... E vi um tucano. Tá certo que como meu celular caiu e quando me abaixei pra pegar bati a cabeça e o tucano voou, mas eu vi...

Vi pegadas de diversos bichos, inclusive da onça morri de medo, fatão

Ir de carro próprio tem essas vantagens de poder parar, fazer seu tempo e principalmente ficar no ar condicionado pois aquele calor não é comum não! É insuportável. Só pra deixar claro que para mim é insuportável, não aguento muito calor.

É assim então: você entra na Estrada Parque antes de chegar em Corumbá, vai indo adoro essas expressões e chega no Porto da Manga. Atravessa de balsa por R$ 35 o Rio Paraguai e a partir daí prepara a máquina. Foi após a travessia que vimos quase tudo. Aí chega no Buraco das Piranhas e volta pela estrada normal pra Corumbá. Fizemos de tarde, saímos por volta das 14h e chegamos varados de fome em torno de 21h em Corumbá. Anotou o percurso? Poderia valer a pena sair de Corumbá, ir até o Buraco das Piranhas (que nada mais é que um trevo ai que raiva quando entendi) entrar pra Estrada Parque até o Porto da Manga e voltar de novo pelo mesmo caminho? Poderia, mas como íamos conhecer toda a Estrada Parque?

Não sei se vale a pena ir com criança, talvez na faixa de 9-10 anos e com alguém que entenda dos bichos/plantas pode ser mais interessante para elas. Mas como fomos parando, descendo do carro, etc, eu não arriscaria levar Bia, é cansativo e sou medrosa mesmo, vai que aparece uma onça e tem que correr pro carro? Doidô nega?

Os passeios que encontramos foram através de fazendas da região que nos cobravam de R$ 120 a R$ 170 por pessoa sendo que seria day use com cavalgada, almoço, passeio na Estrada Parque e uns tinham traslados da cidade até a fazenda e outros não. Para nós que estávamos com nosso carro não valeria a pena $$$. Mas senti falta de alguém que conhecesse bem a região e pudesse quem sabe nos mostrar a onça bebendo água piada interna dos escoteiros do MS. E no final fiquei foi me perguntando quanto tempo era reservado para a Estrada Parque, já que começa de manhã e termina à tarde o tal day use. Vimos alguns paus-de-arara - que lá eles dizem que são carro especiais para o passeio - bem apressadinhos e cheio de gente suando em cima hehehehehe.

Ah, pra terminar lembrei de algo. No dia 30 de dezembro é feita a lavagem da escadaria da igreja N.S. da Candelária pelos candomblecistas e umbandistas, depois tem oferenda no rio para Yemanjá acho que lá a pegada é diferente,rs, mas quem sou eu pra me meter na oferenda alheia não é mesmo?.

Detalhes importantíssimos, compre um repelente bom. Não, nada daqueles comuns. Compre um bom de verdade (tá na faixa de R$ 35), lá você P-R-E-C-I-S-A, os mosquitos não respeitam nada, calça, meia... E dá pra matá-los na maior, de tão gordos que ficam. Só bater a mão e pluft, morto. Água sempre, principalmente quando for pra Estrada Parque, é difícil encontrar lugar pra vender qualquer coisa. E óbvio, protetor solar. Vale também óculos escuro e chapéu/boné.

Acho que é  isso. Tinha também a Estação Natureza acho que é da Fundação Boticário, tinha a Casa de Artesanato, mas não consegui conhecer, quem sabe de outra vez? É né? 

Mas de avião, por favor!!!