31 de março de 2011

Música e outros prazeres

Olá pessoas!


Estava ouvindo o cd novo do Adão Negro, como sempre está um show, resolvi escrever sobre essa minha paixão. Adoro música, de quase todos os tipos, só pra ter uma ideia, estava levando Bia agora de manhã pra escola e ouvi "Eu juro" não sei quem é o autor, quem canta é Leonardo (acho) e comecei a cantar e me remeteu ao início da adolescência. Eu ouvia aquela música, e muito! Tem também uma música cantada pelo Reginaldo Rossi que me embalava na hora de ir pra escola, "A raposa e as uvas", imaginou?


Na minha infância ouvia muita música em casa, sempre! Lembro de cantar Raul na frente da tv desligada mais ou menos na idade de Bia (ela faz a mesma coisa) e de ouvir Chico e Tom cantando "Anos Dourados", que considero a marca da minha infância, bom gosto hein? Inclusive me tornei Mangueirense por causa de Tom Jobim, quando ele desfilou com um piano branco de cauda (já fiz aulas de piano, pasmem!) e ele com seu inegável chapéu Panamá...que emoção quando vejo os desfiles até hoje, por conta daquela imagem.


Na adolescência descobri melhor o rock'n'roll de todas as décadas. Como sempre gostei de entender o que cantam não resisti ao Ira!, caso de amor mesmo. Os mais paulistas dos paulistas. Aquele sotaque do Nasi, aquela guitarra do Edgar Scandurra! Ai que maravilha. Mas ouvi não me lembro onde o blues, mas fizemos uma coleção em casa dos mestres do blues, de BB King a John Lee Hooker, que maravilha. Levamos Bia numa apresentação de Álvaro Asmar no Parque da Cidade quando ela tinha uns 2 anos e ela ficou encantada pela guitarra, não desgrudava os olhinhos, linda! O jazz também foi nessa época, ou um pouco antes até. Ia muito ao Solar do Unhão aos sábados com minha mãe para ouvir o melhor jazz em Salvador, com músicos maravilhosos, muitos deles que hojem estão na Orkestra Rumpillez.


Mas me lembro bem da cena rock da Bahia na década de 90, quando eu nem podia entrar nos shows ainda sou novinha tá pensando o que, as que eu gostava mais eram: (Dr) Cascadura e Penélope (Charmosa). Mas tinha muita coisa, ah se tinha! Depois descobri Retrofoguetes e por aí foi minha paixão...


Na MPB me apaixonei por Djavan quando tinha uns 12 anos, as interpretações de Bethânia e Gal com uns 13/14...Caetano em "deixe que minha mão adentre em cima embaixo entre...". Não posso esquecer do samba, Noite Ilustrada através de meus queridos amigos "Miau" e "Memé", Adoniran Barbosa, Dona Ivone Lara e por aí vamos...


Sim, eu ouço música clássica sim. Já pensou em fazer sexo (ou amor como queira) ouvindo uma orquestra? Dependendo do que seja pode ser surpreendente. Preciso contar algo, tem um motel em Salvador que no rádio toca música clássica kkkkkkk


Hoje em dia sempre que posso vou aos shows da Banda de Rock que é o brother René Swarup, é duro morar no interior meus caros.


E no carnaval? Não tem como ouvir nada do que listei acima né? A não ser em trios alternativos, mas antes de "cair na bagaceira" dá pra curtir Eva, Ivete, Jau, Ilê (outra paixão, capítulo a parte) e depois que subir pra cabeça pode ter até "ralando na boquinha da garrafa"...tá vendo? Até os inteligentes tem métodos para a baixaria ;)

27 de março de 2011

Minhas descobertas na cozinha!

Olá pessoas!


Sabem aquele dia que você teima em comprar algo que não sabe como preparar mas que tá na vontade de fazer? Pois então, essa sou eu com o feijão verde, que não tenho a menor ideia como fazer, mas vou tentar, afinal sou uma dona-de-casa de responsa.


A primeira coisa que faço é procurar a receita na internet, gosto muito dos sites tudogostoso.uol.com.br e do cybercook.terra.com.br e amo de paixão o blog das Rainhas do Lar que infelizmente sairá do ar :/ mas é assim mesmo, nem sempre as coisas boas da vida duram para sempre.


Voltando às minhas experiências, vou fazer o tal feijão verde e congelar pra comer como arrumadinho depois. Como assim não conhece arrumadinho? É uma coisa boa demais, que vem numa tigela de barro (agdá) na seguinte ordem de baixo pra cima: farinha, feijão verde (ou outros), carne seca,do-sol/calabresa frita e salada hummmmmmm.


O melhor arrumadinho que conheço em Salvador é lá na Cruz do Pascoal. Um bar no Santo Antônio Além do Carmo, perto do Pelourinho. Um bar com uma vista maravilhosa para a Baía de Todos os Santos, uma cerveja estupidamente gelada, um preço razoável e mesas disputadíssimas no pôr-do-sol. Eu ia lá a agluns bons anos, sempre, e na minha época coisa de velha  só aceitavam dinheiro, hoje com a "mudernidade" não sei como andam as coisas, mas vale a pena conhecer. Um balcão bem espanhol (assim como o dono) e você vai, vai, vai e encontra um espaço aberto simples e de cara pra Baía. Lindo.


Bom deixa eu parar de conversa que preciso fazer um feijão verde ali. Que os guias da cozinha me protejam!



22 de março de 2011

Mas, e se...

Olá pessoas!


Na última semana uma colega do 2º grau que não vejo a uns 11 anos, desde que ela se mudou para os EUA, entrou em contato comigo pois foi morar na pequena Ilhéus. Achei ótimo, afinal serão mais 2 pessoas pra conversar, ela e o marido, já subo meu número pra 10, e quem sabe ter mais uma amiga.


Mas o fato que me levou a escrever sobre esse pré-reencontro é que fiquei com a sensação de "e se eu tivesse escolhido outras coisas?". Quem nunca passou por isso pelo menos uma vez na vida? Ela me contou que já formou, assim como diversos colegas daquela época, e não quer filhos por enquanto.


Bateu aquela coisa de e se eu tivesse terminado os cursos que comecei? Fosse ele o de turismo, o de secretariado, o de logística, o de relações públicas, enfim, estaria formada, mas e se... Mas o que mais me faz pensar é se eu não tivesse escolhido o curso de ADM e sim o de Direito, como era minha preferência à época, o que seria de mim hoje?


Mas e se eu não tivesse reencontrado marido no meio do carnaval? E se eu não tivesse engravidado? E se eu tivesse optado por ficar em SSA e não vir morar aqui...e se?


Tem um filme que retrata bem essas questões, A Dona da História, com Marieta Severo e Débora Falabela, onde Carolina (Débora e Marieta) fica fazendo um vai e vem na história bem com esse e se... O mais engraçado é que quando o filme foi lançado eu estava com o questionamento de que se o que eu estava escolhendo/fazendo era o que queria mesmo. Casou muito bem.


Aliás, tem um hábito que cultivo desde que me lembro de ter dinheiro no bolso, o de ir ao cinema sozinha. Mas como sempre, isso fica pra um outro post, mas e se eu resolvesse escrever agora?  

21 de março de 2011

Aniversários? Aqui vou eu!

Olá pessoas!


Não é o meu aniversário, que está um pouco distante, mas o do marido que está pertinho, que me deu a ideia de começar a relatar as loucuras dos aniversários de Bia.


A quase 4 anos teve a primeira festa, mas não, eu não queria fazer festa. Com 1 ano só fazemos as festas pra nós guardarmos a lembrança, gasta-se o que não tem e a criança, a maior interessada aproveita mal. Mas pra queimar a minha língua as nossas famílias resolveram fazer lá no prédio de tia Dete e Bia não só aproveitou como começou a andar neste dia, passinhos lindos com seu primeiro All Star rosa, e de vestido florido, linda!
Minhas cumadre fez o bolo e pra variar, uma enormidade, o que era pra ser um sol, já que o tema eram flores, virou uma estrela pois segundo a dinda Cris o bolo despencou de manhã e ela entrou em desespero, coisas que só acontecem no 1º ano. Além de ter caído uma chuva que complicou muito mais a festa, mas tudo correu bem, então fique tranquila, tudo acontece nesta primeira vez.


Minha afilhada, Adriana, ficou toda mole no 1º aniversário dela, não quis conta com ninguém, ficou murcha mesmo com a festa rolando, coisas de primeiro ano.


No 2º aniversário entrou com força total a TROPA DE ELITE das festas, de dezembro de 2007 a agosto de 2008 de preparação. As tias Ná, Fafá, Ângela, Marcella, Bruna, vovó Tuca e Nalva, além de todo o esquadrão anti-bombas por trás, realizaram uma festa lindíssima, leia-se tios, vovô Batista e o tio Mauro. Uma das festas de criança mais bonitas que já vi, com direito a pula-pula, piscina de bolas, animação, pintura de rosto e um paiol recriado pelas mãos de tio Mauro e tia Fafá. O tema foi Cocoricó e foi uma mega festa, maravilhosa, linda. Bia vestida igual uma boneca, literalmente, invenções de tia Fafá. Dois salões de festas no condomínio da tia Mara, ufa! Números imensos, até hoje não tenho certeza de todos que estiveram lá. Tivemos um amigo, o querido fotógrafo, Geni Coutinho fazendo as fotos mais incríveis, sem esquecer é claro do tio Guto e do tio Rafael. Todos os amigos, parentes e pessoas queridas estavam conosco. Uma festa memorável, inesquecível, emocionante. Só tenho a agradecer a todos que realizaram e nos permitiram realizar e viver aquele momento.


 Ah, batemos parabéns na escolinha, de Hello Kitty e pra mim temos uma das mais simples e bonita festa. Bia de rosa e branco, eu, vó Nalva e Tuca, a dinda Cris e o papai. Lembro dela chamando os coleguinhas "venha, pode vir, é o aniversário de Bibia..."


No 3º as coisas apertaram e a festinha foi feita na escola, mas com direito ao pula-pula, a painel grafitado da Vila Sésamo e tudo que o tema permitiu, trazidos por vovó Tuca e vovô Batista de São Paulo. Mas Bia adorou, atingido o objetivo partimos pro próximo ano...Opa, ia me esquecendo, tia Fafá, tia Cella e tia Bruna armaram uma festinha, com ela enrolando brigadeiro e confeitando bolo, ela amou!


4º ano e a paixão por princesas tomou conta da turminha. O desejo de Bia era que fosse feita o aniversário numa casa de festas, mas como o valor seria inviável resolvemos fazer num parque dentro de um shopping de Salvador.,Com ela vestida de princesa (by tia Ná) e tudo da tal "Barbie princesa" que era na verdade Castelo de Diamantes, mas Bia não aceitou dessa forma e ficou como princesa e pronto. Lembrando que pra variar tinha comida pra sair pelos lados, êta família exagerada :-), e o bolo? No fundo de uma Parati com os bancos abaixados, um castelo (by tia Ná né?) com ponte, carruagem e tudo. Também foi muito bonito, mas adianto, o Game Station do Salvador Shopping, que pagamos para usar, tem regras chatas, como só pode entrar 1h antes, mesmo que esteja vazio o espaço, pois conosco avisaram que poderíamos sim chegar mais cedo e na hora só pudemos entrar no horário estabelecido. Ficamos com bolo e tudo esperando, esperando...então pra nós, festa no Game Station nunca mais :-|


Teve também um bolinho na escola, coisa bem simples, só bolo de chocolate, pãozinho delícia e brigadeiro, que é na verdade o que as crianças gostam de verdade, o resto somos nós que amamos.


Este ano Bia escolheu Turma da Mônica, com ela vestida de Cascão (tá tia Ná?) e na escola aqui, mas tenho certeza absoluta que teremos pelo menos um bolinho lá em Salvador, é claro, quem pensa que a TROPA DE ELITE vai ficar de fora, tá é por fora.

15 de março de 2011

E pra você que vai...Good night, and good luck

Olá pessoas!


Este post vai diretinho para aqueles que foram para algum lugar, que sairam do lugar comum, seu espaço cômodo, que ousaram, que estão tentando por aí... e que entendem perfeitamente a minha mudança, ou não! 


Hoje mais uma amiga saiu de Salvador, pra ser feliz eu acredito, e me fez pensar mais uma vez em como cheguei aqui, neste local extremamente quente. Eu vim por um bem maior, o bem da minha filha e da minha relação com marido, além do meu desgaste pessoal com criação de Bia, correria do dia-a-dia e a violência.


Já avisei que não sou altruísta? Pois bem, eu mudei com base nessas necessidades (?) e me descubro com vontade de mudar mais e mais. Não tenho medo do novo, o que me assusta são as pessoas de carne e osso. Não tenho medo da solidão e nem de me perder numa nova cidade. Mas o novo me instiga, aguça meus sentidos, faz com que eu perceba a cidade de formas diferentes, observe os costumes e seu povo.


Quando conheci o sul do país me encantei, me apaixonei. Fiquei louca mesmo, assumo! Mas como não achar uma maravilha uma região onde as pessoas por mais frias que pareçam são extremamente educadas? Onde sei que educação formal pública ultrapassa a privada daqui (uma verdadeira privada!). Que se tem arte, música, teatro e cinema a preços convidativos ou até gratuitos. Onde o preço de um jantar digno é o preço de uma refeição módica por essas bandas?


Preciso sempre de ar novo, viajar, sair e porque não mudar de casa e cidade mais uma vez? Que eu tenha essa possibilidade mais vezes e terei.





11 de março de 2011

Previsões astrais.

Olá pessoas!


Previsão astral de 2011 pra meu signo, touro, chifruda já basta pela natureza ok? Nada de brincadeirinhas. Então voltando, pelo site Delas minhas saúde vai por água abaixo, ganharei dinheiro no 2º semestre e minha relação tem sido tortuosa. Pois eu discordo completamente, a não ser pela minha coluna, que anda meio torta por conta de um esporão no calcâneo, mas aí é outro assunto.


Sempre acreditei que entramos no inferno astral quando estamos próximos ao nosso aniversário, as coisas ficam complicadas, nada dá certo facilmente, entre outras crenças que tenho. Mas como acredito que tudo pode mudar, lá vou eu numa empreitada.


No dia no meu aniversário (14/05) haverá uma corrida de rua noturna em Salvador e decidi que irei participar, pra comemorar em grande estilo minha perspectiva de novo ano. Aliás, esse negócio de ano novo ser de 31/12 para 01 de janeiro é meio furada né? Na China comemoram em outra data, além de outras culturas terem suas datas definidas de outra forma e não apenas por um calendário cristão. Eu gosto de pensar que meu ano muda no dia do meu aniversário e com isso irei realmente mudar, tomara.


Adoro uma noitada, regada a amigos, bebidas e comidas, mas sinto que estou ficando mais experiente velha e a partir disso acredito que tá na hora de mudar para o futuro ser menos duro comigo. Como toda mulher sou vaidosa, e estar acima do meu peso desde a gestação não me deixa muito contente. Suportei até agora pois as prioridades eram sempre outras. Hoje a prioridade da minha vida continua sendo Bia, mas o cuidado comigo terá de melhorar, senão daqui a pouco não conseguirei nem ao menos carregá-la no colo.


Minhas dores partem a princípio daí, ganho de peso, penso que seja um problema generalizado que muitas mulheres devem pensar como eu, culpar eternamente a gravidez. Tenho a consciência de que ganhei peso não apenas pela gestação, mas sim pela minha falta de cuidado comigo, por achar que o mundo ia acabar perante uma massa, como boa descendente de italianos que sou :)


Então quem quiser vir comigo e comemorar meu aniversário e um novo estilo de vida, sem deixar de ouvir o bom rock'n'roll nas noites por aí, será muito bem-vindo, mas claro, desejo após esta festa muito íntima encontrar meus amigos e comemorar minha vitória de re-início, e outra: previsãooo me encontre no 2º semestre pra ganhar o tal dinheiro!


Inscrição para o Fila NigthRun dia 14/05.

10 de março de 2011

É o bicho, é o bicho vou te devorar...uma aranha eu sou!

Olá pessoas!


E não é que tenho um medo retado de aranha? Você nem tem ideia da fobia. Quer ser meu inimigo? Pronto, acabou de descobrir um ponto fraco, mas também se eu conseguir sobreviver, aiii não me responsabilizo.


Era pra começar de outro jeito, mas a aranha me tirou o sono literalmente. Íamos passar o carnaval em Rio de Contas, Chapada Diamantina, eu pronta pra fazer minha primeira trilha no mato, com tudo no carro. Quando escrevo tudo significa: roupa de frio, comida para camping, fogareiro e saco de dormir. Aí meu querido marido resolveu ligar para o camping que tínhamos conversado e pimba! Não tinha mais vaga. Ligamos pro 2º, 3º e 4º e nada. Não tinha como arriscar com Bia, se estivessemos só nós sim, mas com ela sempre complica. 


Marido resolveu ligar pra tia Cella, e viria pra Ilhéus, que estava na ilha em família e amigos para saber se cabia uma barraca no quintal (e olha que é um quintal pra umas 30 barracas,rs) e lá fomos nós pra ilha, claro que tirei as roupas de frio, o fogareiro e o saco de dormir do carro, mas tive que acrescentar piscininha, brinquedos de praia e mais biquinis. Chegando lá, a festa de sempre, tia Fafá que não nos esperava tomou aquele susto. Tio Mauro que jogou a praga do "só faltava Bia aqui" ela se derreteu e se jogou no colo. 


Mas tem os cachorros, sim os cachorros, que Bia adora de paixão e diz que sente saudade deles, e depois da outra parte da família. Alec e Preston, dois SRD (vira-latas mesmo) que são umas gracinhas, até pra mim que não sou fã de cachorro. Ela dá comida, beija, conversa, uma coisa, e assim transcorreu o carnaval.


Chegaram também Tia (como é o nome daquela tia mesmo mamãe?) Rose e Tio Gui. Mas até que apareceram os caretas...êta bichinhos feios, os meninos da cidade que se fantasiam pra pedir dinheiro, e Bia teve muito medo, justo ela que não tem medo dos diabinhos do Zambiapunga, com medo de uns meninos, oras! Tia Cella e tia Bruna rapidamente providenciaram uma "careta" pra Bia se fantasiar e ficarmos com medo e dar o tal "dinheirinho", ela depois me confidenciou no tom de segredo absoluto que era ela fazendo medo em nós, adultos bobos.


Dormimos na barraca pra manter o clima "camping", o que me fez sofrer muito de calor no 1º dia, mas na outra noite tia Fafá nos presenteou com um ventilador 220V e fez com que eu e Bia dormíssemos até 8:30h, o que pra quem conhece barracas sabe que é algo quase impossível embaixo de sol a pino. Na última noite dormimos em casa, e me deu aquela vontade de fazer o bendito xixi da madrugada, aí que começou o meu inferno. Morro de medo de aranha. Sério, de verdade! Qualquer bicho me assusta um pouco, mas por aranha viro um bebê. Providencialmente Bia acordou e pediu água, eu acordei marido e pedi a água de Bia e pra acender a luz do banheiro. Quando ele foi ao banheiro uma aranha se mexeu, grande (depois apelidada por tia Fafá de manequim por causa do tamanho das pernas) e quando marido tentou matar ela correu justamente para o quarto o.O eu entrei em pânico. Sabe medo? Não, pânico! Tenho fobia de aranha desde a infância quando visitava meus avós em SP e na chácara nova meu vô tinha feito uma casa de bonecas linda pra suas 6 netas e fui brincar nela. Pulou uma aranha caranguejeira na minha frente e pronto, desencadeou meu medo (acredito que tenha sido a partir daí, já adiantei o processo pra terapia). Mas voltando, comecei a gemer literalmente de medo, até que apareceu tia Fafá pra saber se estava tudo bem e me viu ali, encolhida em cima da cama morrendo de medo daquela "manequim".Quando marido finalmente conseguiu matar a tal aranha e ainda tremia, mas fui fazer meu xixi. Quando volto para a cama e falo pra Bia, obrigada por ter cuidado de mamãe que estava com medo, ela simplesmente com as mãos unidas embaixo da cabeça faz um hunph com um desdem desagradável e foi dormir. Ela não entendeu o por que do meu medo. Crianças. Perdi a noite e não dormi mais, é claro.


No outro dia, o da nossa vinda de volta, apareceu uma cobra "na moda" cujo apelido dado por tia Fafá foi por conta da cor verde neon da dita cuja. Se sofri novamente? Nãoooo. Tenho medo de aranha, cobras entram no quesito assustam mas não tenho pânico.


Quer carnaval mais movimentado? Não perdi nada pra Salvador, RJ e SP, e se continuar desse jeito acho que nem a fobia resiste.

5 de março de 2011

Consultoria de experiência ativa :-)

Olá pessoas!


Comecei o dia escrevendo um post sobre camping, mas uma amiga agora a pouco pediu uns conselhos sobre o parto, etc e lá fui eu, dando conselhos baseados na minha experiência, e me remeteu ao que me motivou começar a escrever o blog, minha experiência com Bia.


Lud, mãe-grávida de um "pequeno príncipe", me questionou sobre o que levar  pra maternidade, aí começamos a discorrer sobre o PN e o PC (parto normal e cesárea, respectivamente), e lá fui eu dando pitaco, como sempre. Para mim, que sou exagerada a começar pelo meu tamanho, expliquei que mesmo ela estar se preparando pra fazer um PN, precisa estar preparada também pra um possível PC, mesmo que não seja o desejo pessoal.


Lembro de algumas coisas que levei. A 1ª roupinha, um pagãozinho completo com meia e luva, branco e azul. Aliás o enxoval de Bia foi um espetáculo à parte, afinal a bonita usou azul, laranja e branco. Não que eu ache que não ficam lindas de rosa, lilás e suas matizes, mas eu gosto de cores e não suporto estigma: menina de rosa, menino de verde. Saco!


Bom, levei pra mim, conjunto de dormir, eu era uma meninona, se eu soubesse das facilidades da camisola, aiii. Meias, levei umas coloridas, tenho uma foto terrível,rs. Produtos de higiene pessoal, protetor para seios, sutiã que abre pra amamentar e muito absorvente, muito de verdade e grandes, beeemmm grandes e muita calcinha confortável, daquelas grandes mesmo, além da cinta/faixa pra segurar a barriga, como se adiantasse kkkkk.


Pra Bia levei o sabonete líquido da Natura, muita fralda descartável pequena, os conjuntos de pagãozinho, meias, luvas, a roupa pra sair da maternidade (no caso da minha bonita a bivó Madá quem fez a mão, chique a guria), a manta, tudo lindo. Cueiro pra cobrir o bercinho do hospital, fralda de pano para limpar a sujeirinha que cai, o leite que escorre da boca, etc,etc,etc...


Então acho que é isso, se eu lembrar de mais alguma coisa, eu posto, afinal depois de 4 anos a memória começa a falhar.


Dica: Na maternidade procure usar roupas que facilitem tirar pra amamentar, camisolas em V, tipo envelope, o peito pula que é uma beleza e arranca a fome dos pequenos mais facilmente, o que traduzindo significa, silêncio...shhhhh

3 de março de 2011

Hummmm - 1

Olá pessoas!


Agora chegou a hora da verdade. Vou contar algo que muita gente que me conhece sabe ou desconfia. Amo comer! Como com prazer sabe? Aquilo que me faz fazer revirar os olhinhos :-). Mas vamos combinar, tem algo melhor que comer bem? Ter um prato bonito à nossa frente, com aquele cheiro maravilhoso e sentimos o sabor sem nem precisar tocar naquele prato, hummmm.


Vou começar a discorrer minha "pequena" experiência gastronômica justamente a partir de coisas que sinto falta só porque não está pertinho, a comida mexicana. Aqui em Ilhéus não tem, ainda, nenhum restaurante mexicano, mas em Salvador tem um que particularmente é meu predileto, o Tijuana que tem duas unidades, uma na Rua Minas Gerais e uma na Av. ACM, que é a que eu mais gosto. O clima é mais tranquilo, a música é mais baixa, melhor pra conversar, pra namorar e comer com calma. Eu sempre digo que é o mexicano para os mais velhos coroas.


Se gosta de carne, molho e não tem medo de pimenta fique com o "Nachos supreme com molho a parte", mas se quer ficar light, com frango defumado, molhinho, opte pelo "Pollo Salad". Posso afirmar que duas pessoas comem bem qualquer uma das opções. Mas também pode experimentar uma "Quesadilla com carne moída à mexicana" já que amo carne com pimenta. E para beber se gosta de cerveja peça uma mexicana pra experimentar. Ah, para arrematar em grande estilo que tal churro com doce de leite? Delícia! 


Conheço mais alguns mexicanos em Salvador, mas como escrevi ali em cima meu preferido é o Tijuana, na minha próxima ida em SSA vou tentar conhecer o único que falta :-)


Mas sinto falta do Las Margaritas, que ficava no Rio Vermelho e hoje só tem na Praia do Forte, que ainda não fui conhecer :-/