25 de julho de 2011

Complementando a "evolução"

Olá pessoas!

Cometi uma falha gravíssima! Como faço uma lista da evolução para donas-de-casa e domésticas e omito os "equipamentos/utensílios da felicidade"?

Vamos lá, vou listar umas gracinhas da mamãe aqui:

* Aspirador de pó - como vivi tanto tempo longe dele sendo alérgica? Entra sob a cama sem precisar arrastar, do sofá, da estante. A parte ruim é quando enche o saco de pó, aí a alergia não aguenta, 2 dias de espirro, mas vale a pena por diasss de alegria.

* Micro-ondas - A-D-O-R-O o meu. Estou tentando acertar algumas coisas, como a pipoca de saquinho (que ou queima, ou ficam vários grãos sem estourar), o pudim de leite, mas já fiz arroz e ficou muito bom, não deve nada ao do fogão tradicional. E o fato de esquentar algo rapidinho, principalmente quando é Bia quem está com fome e não para de gritar "tô com fome, tô com fome", salva mesmo.
* Máquina de lavar roupas - como um ser humano consegue viver sem ela??? Tá bom, nada de dizer que é cara, pois sei disso e por muitos anos vivi sem, mas vamos combinar, quando acertamos a máquina é uma maravilha viu? Tivemos um tanquinho, doado por Bituca, amiga nossa e era duro ter que tirar a água de dentro, mas pelo menos fazia a força do esfregaesfrega.

* Processador de alimentos - meu xodó. Incrivelmente nunca imaginei que um dia ia assumir que estou gostando de verdade de cozinhar (o que odeio é lavar pratos, mas como ainda não dá$$$ pra ter uma máquina de lavar pratos, lá vou eu). Ele bate massa de bolo, tritura pão, temperos, etc. Estou aprendendo a usar ainda, mas estou felicíssima com tudo o que ele faz e satisfeita.

* Cafeteira italiana -  estou sem :-/ porque pra ter uma de qualidade tem que inve$tir e atualmente não tá dando, rs. Mas um café feito nela jamais será encarado da mesma forma, e se o café for bom então? Hummmm

* Utensílios diversos -  um descascador baratinho, uma faca de pão, facas para carne, legumes, tábua de vidro, luvas de silicone, espremedor de alho e os "ziploc"? Adoro esse saquinho onde eu congelo as comidas/bebidas(sopas) e depois meto no micro-ondas...amo!

E vou contar um excesso aqui, a minha geladeira. Sim minha, porque se por algum acaso houver "separação de bens" por aqui, dela eu não abro mão! Ela é grande, frost free, com um congelador decente, com espaço para "drink express" que gela a bebida em 30 minutos aproximadamente. Tem um turbo congelamento e lugar para colocar 2 taças (vivem lá)...resumo, é a fofis da mamis aqui. 

E ainda me falta uma máquina de pão (acho que por conta de +40kg familiares ainda está proibida por aqui).

Acho que pra quem me conhece bem deve ser estranho me "ler" apaixonada por eletrodomésticos e utensílios assim. E outra, não é o valor que determina o quão maravilhoso é o que nos ajuda no dia-a-dia, e sim a sua real utilidade. E olhe que eu tô é usando tudo viu?

24 de julho de 2011

Êba, bolo e guaraná...

Olá pessoas!

Estamos em clima de aniversário de novo! Agora o de Bia, êta que maravilha. Não sei de verdade quem fica mais ansioso aqui em casa, disputa acirradíssima, entre nós 3. 
Não sei porque criança A-D-O-R-A festa na escola e Bia fica eufórica. Terá o tema que ela escolheu, da Turma da Mônica. A mamãe aqui fazendo os doces (brigadeiro e beijinho com a mãozinha da vó Nalva, vou explorar a "idosa" hahahaha), bolo (simples claro, afinal não sou minha cumadre Cris) e coxinhas (que estou firme na receita da internet)! O pãozinho delícia será encomendado, mas bem que eu queria fazer, ah se tia Dete tivesse me ensinado...Sucos, refri e pronto. 1 hora que vale muito, todos os momentos. Não posso esquecer da contribuição do marido...Enche as bolas pra decorar e as compridinhas e "tenta" a 4 anos fazer cachorrinhos, espadas, rs, mas é uma farra.

Vamos que vamos! Festa é comigo mesma ;-)


23 de julho de 2011

A evolução

Olá pessoas!

Estava essa semana fazendo o geralzão em casa. Mas aquela limpeza onde arrastamos todos os móveis, abrimos todos os armários, tiramos tudo de dentro e limpamos... aí vem Strike Gel contra formigas (aqui não tenho baratas, mas também é tanta aranha que baratas nem me fazem falta, tô trocando, topas?) e etc.

Mas tenho que voltar ao assunto dos produtos de limpeza. Que glória a evolução! Vamos combinar que hoje em dia não combina nada ficar esfregando colarinho de camisa branca, quando se tem Vanish poder O2 né? E pra lavar o banheiro? Olha "ele", Veja X14, tira toda a sujeira e nem precisa esfregar!!! Na cozinha joguei muiiito Pratice desengordurante da BomBrill esfreguei com a boa e velha vassoura (a cozinha tava precisando desesperadamente) passei o Sekito e pronto. Cozinha branquinha, ops, passei Sekito com desengordurante nas paredes também, do teto ao chão. 

Aproveitando a "deixa da limpeza" eu li nas redes sociais que em um programa na tv aberta os médicos estavam ensinando a limpar a bunda depois de fazer cocô.  Certo, concordo que é um tema um pouco delicado, aqui o papel higiênico é de primeira linha, e li muitas críticas sobre o tal programa, mas pense bem, este tipo de programa é pra qual camada social? Se bem que tem muita dondoca porca, então isso já não é limitador, mas a tal pelo menos pode pagar um médico, e na salinha reservada (quase confessionário) pode aprender a limpar a bunda direito sem nenhum escarcel. Mas e o pobre que não tem acesso a médicos "de rotina"? Será que a higiene é feita adequadamente? Nesse mesmo programa eu vi médicos ensinando a limpar banheiro, mas aí me sucitou outra dúvida: será que são eles que limpam, ou suas senhoras, os referidos banheiros? Mas de fato, ensinando como usar os produtos (os da "evolução" também estavam presentes) e apresentando os riscos de cada um. 

Eueueueu! -Ô tio então vão vender EPI's* pra donas-de-casa? 

Sem sacanagem, descobri nesse programa que mais perigoso para ingestão do que sabão em pó é o amaciante de roupas o.O e não são eles que tem aquela embalagem tão fofinha? Sempre com ursinho, bebês e flores? Aqui em casa coloquei todos os produtos de limpeza (inclusive as embalagens coloridas, rosa shock, e as com florzinhas) dentro de um armário que fica no chão da cozinha e vou tentar comprar ainda hoje uma corrente com cadeado. Afinal quem tem criança buliçosa (adoro esses termos da minha infância) tem que tomar cuidado.


*EPI's: Equipamentos de Proteção Individual.

20 de julho de 2011

O meu muito obrigada!

Olá pessoas!

Hoje é um dia daqueles. Daqueles em que a saudade cresce, que os olhos se enchem d'água e o peito aperta. Não, nada de tristeza, apenas saudade! Saudade dos meus amigos, pra ser bem exata de duas amigas.

Jamais diria que não conheço ninguém, muito pelo contrário. Tá pra nascer o dia em que ficarei sozinha literalmente no mundo. Tenho vários amigos, pessoas ótimas, pra compartilhar diversos momentos, mas pra todos os momentos eu sei que tenho duas amigas, ou alguns mais que ainda não se revelaram já que as coisas andam mais calmas na minha vida ai quem me dera.

Sempre brinco que não fiz amigos bebendo leite e taí uma verdade suprema na minha vida. A Cris conheci num momento no mínimo inesperado. Aniversário de um amigo meu que era namorado à epoca de uma amiga dela à época também kkkk onde coincidentemente chegamos antes dos convidados. Papo vai, cerveja vem, acabaram-se as vodkas, um bom gosto em comum por sinal, e precisávamos esticar o almoço, e isso já era de noite...e pronto. Já são uns bons anos com alguns finais de ano comemorados no dia de Natal com muita comida e bebida...ai bons tempos!

Agora vem a tia Kumi, ou melhor Kamilla, assim mesmo "com 'ká', dois 'eles' e minha mãe ainda queria colocar 'ipislon'", já imaginaram? Nos conhecemos no CEFET, lugar que indiretamente me liga a Cris graças ao "nosso amigo", éramos da mesma sala mas não conseguimos nos aproximar naquele ambiente e sim no bar.  E lá conheci outros tantos amigos que não citarei pra não ser injusta.

Pra mim um momento inesquecível com essas duas foi quando resolvemos sair em bando, éramos várias mulheres e um ex de motorista. Nos encontramos no Pelô, isso eu ligando pra Kumi pois ela tinha dito que estava sem grana e ia ver como iria. De repente chega Kumi cheia de moedas de R$ 0,25. "Mari preciso te falar uma coisa, tirei o dinheiro do porquinho e vim. Tô cheia de vinte e cinto centavos", claro que foi a resenha da noite. De lá fomos para o nosso amado Rio Vermelho e terminamos a cerveja do Boteco do França as tantas da madruga, quasequase clareando, cantando o bêbado e o equilibrista...

E o aniversário do Vitor que eu já estava grávida??? Sairam de lá e desceram a Federação. Um ponto laranja no meio do Idearium em dia de preto...essa eu não vi, mas soube.

O nosso encontro mais recente foi no shopping, quando Kumi, casada, foi para o 'além mar' e nos deixou aqui. Eu com uma menina e um companheiro e Cris grávida da Adrianinha...

Nenhuma de nós esperava que isso acontecesse, muito pelo contrário!!! Mas a vida nos pregou uma peça daquelas e hoje separadas pela distância física continuamos nos amando e participando da vida uma da outra pela maravilha que é a internet, mas...

Sinto falta de um último porre daqueles com vocês as minhas "leoas".

"...Pois seja o que vier, venha o que vier
Qualquer dia, amigo, eu volto
A te encontrar
Qualquer dia, amigo, a gente vai se encontrar."
Fernando Brant e Milton Nascimento

18 de julho de 2011

Infância, adolescência e a vida adulta?

Olá pessoas!

Atendendo uma reclamação da minha mãe, lá vou eu voltar a escrever, rs.  Brincadeirinha! Vou escrever sobre algo que não domino, mas que me interesso muito, principalmente depois de Bia.

Tenho lido vários artigos sobre a educação infantil, a forma com que os atuais adolescentes estão sendo educados, essas coisas. Estava numa recepção de alguma dessas clínicas que sempre nos oferecem revistas de fofoca e uma das de notícias mais conhecidas (publicidade gratuita sem eu gostar nem implorando tá?) quando li uma entrevista com a Amy Chua que escreveu o livro Grito de guerra da mãe tigre e me identifiquei de imediato com o estilo dela. Uma mulher descendente de chineses que impunha uma rotina militar às filhas, até que a mais nova enfrentou e conseguiu uma flexibilidade. Mas aborda muito mais coisas e a entrevista com certeza me fascinou ainda mais.

Partilho da ideia que crianças tem que ser educadas com limites e regras, mas ao mesmo tempo flexibilizo a relação com diálogo e demonstrações claras do que acontece na vida real, como por exemplo mostrar a ela que um tomate caindo do terceiro andar (quando tínhamos nos mudado não conseguimos instalação imediata da rede de segurança e vivíamos com tudo trancado, mas...) espatifava e que se ela tentasse algo próximo à janela ia acontecer o mesmo com sua linda cabecinha.

Óbvio que tenho a absoluta certeza que muita gente me condena por essa atitude, mas também sei que ela não se aproxima da janela sem alguém com ela, mesmo com a rede de segurança lá, e é isso que me importa. Continuando com o assunto da educação tenho percebido que muitos pais não sabe o que fazer quando uma criança "insiste" em querer algo. Os pais hoje não sabem negar, e quando o fazem é com tantas outras condições que prefiro me limitar a dizer que aqui o som toca é em outra estação.

Crianças egoístas, sem limites, sem respeito a nada e ninguém, sem educação e principalmente sem saber o que é o não! Li que 75% dos adolescentes de hoje acreditam que serão bons pais (?) e chegarão ao topo da carrerira (detalhe que neste mesmo artigo dizia que só existe 20% de topo, pensou na frustração da galera?) Que existe a hiperestima, que todos se acham merecedores. Poxa, fui educada por minha mãe, e quando chegava no final do ano que ia toda serelepe (quem tem mais de 25 com certeza entende essa palavra) mostrar meu boletim e com a famosa frase: passei direto mãe!!! Ela me dava os parabéns e dizia: não fez mais que sua obrigação, eu paguei escola o ano inteiro.

Conheço mais uma dúzia que me diria que eu provavelmente faço terapia pra curar este trauma, mas não. Não messsmo. Bia aqui tem o mesmo regime, com o pai concordando plenamente parceria total, de que estamos investindo nela e não fazendo uma gracinha porque ela é "bonitinha e merece o melhor". E nesse processo ela tem entendido que o que fazemos é para o bem dela e não por ser a nossa pequena linda, fofa, mais amada do mundo. E que o mundo não gira ao redor dela e a vida não é tão colorida como os livrinhos que ela tem.

Hoje na escola tinha alguém vendendo um caderno para colorir com dvd, lápis de cera e as crianças fazendo com que seus pais e mães comprassem pois precisavam muiiito daquilo. Lembrei a ela antes que ela me pedisse, pois até o momento só havia "mostrado", que tem no carro dvd's, cadernos de colorir e em casa uma caixa de lápis de cera. Claro que fez aquela cara de toda criança quando vê um coleguinha ganhando algo, mas tenho certeza que entendeu, tanto que nem comentou nada depois.

Ah! Já ia esquecendo. O que estão fazendo com os adolescentes dessa geração? Sentamos para comer no shopping em Salvador justamente Os aburrecentes (não de aborrecedores, mas de burros mesmo) parando para tirar foto no espelho - já os imagino colocando nas redes sociais - todos na MESMA POSE. Nada dos famosos dedos do meio em riste, muito menos do símbolo do rock'n'roll. A pergunta que não quer calar ONDE ESTÃO OS ADOLESCENTES REVOLTADOS??? Acho que ser revoltado hoje é ser emo, e eles estão em extinção. Só pode! 

Pois então, achei que eles ainda teriam salvação quando encontramos um grupinho na mesa de sinuca da casa de jogos (já que não há mais nenhum bar decente com uma mesa digna) depois de umas 2 partidas um deles grita: ah tô cansado de jogar sinuca vamos dançar lá embaixo? Ele falou o nome daqueles brinquedos nos quais ficam saltitando feito pererecas, mas juro que me recuso a registrá-lo.

Não, não quero que saiam fazendo baderna e arruaça por aí. Muito menos que fiquem embreagados fazendo merda, mas que digam algo que possamos ouvir sem ficarmos entediados. Que ouçam músicas que não sejam apenas de esfregar as partes no chão ou os pseudossertanejos adolescentes e sim entendam da história da música brasileira, seja ela a caipira, MPB, frevo etc...mas sejam adolescentes. Leiam sobre tudo que lhes for possível. Questionem, pensem! Por favor, pensem! E me poupem das fotos no espelho do banheiro do shopping.

10 de julho de 2011

Escolhas e desejos

Olá pessoas!

Depois de quase 1 mês estou de volta, cheia de questionamentos, pra variar. O São João foi bom, tivemos esses 20 dias de férias muito agitado que hoje termina e recomeça amanhã um novo ciclo.

Bia de escola nova, eu tentando terminar a minha faculdade...as idas à Salvador continuam...

Venho me perguntando a algum tempo se fiz as escolhas certas pra mim. Se o que fiz, de sair de uma capital e ir para o interior sem me formar foi o certo. Se era isso mesmo que eu queria. Eu e o famoso "se" me perturbando novamente. 

Todas as vezes que as coisas fogem do meu controle (sou extremamente controladora, ou não notou isso ainda?) entro em paranóia, fico confusa e muito estressada. Não saber o que irá acontecer me deixa com ânsia de vômito. Antes que alguém pense em me perguntar o que está acontecendo deveras, eu não irei responder, a única coisa que preciso é colocar pra fora o que sinto hoje, amanhã começo a postar sobre as férias.

Sinto muitas vezes como se eu fosse a única interessada nessas mudanças, que a única que faz força para que as coisas dêem certo. A sensação de obrigatoriedade me deixa sem forças até pra pensar e projetar o futuro.

Mas ao mesmo tempo utilizo o que aprendo no dia-a-dia para repensar meus desejos e minhas escolhas. Só se de uma coisa, tudo que desejo o universo conspira ao meu favor. Ou então mentalizo tanto, mais tanto, que se enchem de mim e resolvem me atender, rs.

Sendo assim o que me resta é ficar com o coração em paz e refletir mais e mais.