23 de setembro de 2011

Ai como dói

Olá pessoas!

Menina como é difícil convencer uma criança a tomar vacina! Afff. Mas aqui não tem essa, conversamos e 'natoralmente' ela toma feliz.

Nunca mentimos pra ela, dizendo que não dói, que é rápido (pra quem tá levando a furada dura uma eternidade), mas sempre explicamos que 'ou é isso, ou se ficar doente vai ficar no hospital cheia de agulhas', pimba! Método eficaz e rápido. Normalmente ela não chora, nem tirando sangue (pasme, rs, é muito trabalho psicológico heheheh) o que nos deixa muito à vontade para oferecer um sorvete, pão delícia ou algo do tipo após o 'ato' doloroso. Mas como moeda de troca não lembro de termos usado. 

Aliás, como moeda de troca só se todo o resto não funcionar, e que é um longo caminho a percorrer, ah isso é. Antes que alguém se pronuncie dizendo que não sou um poço de paciência, confirmo. Paciência e tolerância ZERO, comigo. Mas nessa hora acho que o coração fica manso e negocio tudinho, desde uma encheção de saco de não querer comer (até a hora que mando sair da mesa pra saber o que é fome de verdade) até tomar um remédio. 

Isso inclui muito tempo, o que nem sempre temos disponível. Quando morávamos em Salvador, Bia ficava integral na escola, e foi a melhor coisa que aconteceu pra ela, afinal interagir e aprender, aliado a uma comida selecionada e muito saudável não encontramos muitas vezes nem em casa. E para nós também. Ter uma parceria que contribuía diretamente na melhora da utilização do tempo vago era algo maravilhoso, e nós aprendemos a usá-lo plenamente.

Bom é isso, lembrei que falta 1 dose de vacina e aí resolvi partilhar a "dor e delícia de ser o que é...".


11 de setembro de 2011

Tira a pé do acelerador, fica em ponto morto

Olá pessoas!

Está cada dia mais complicado manter o ritmo. É o calor, o desânimo habitual, mas tento seguir firme. Aí vem o gesso na mão. Uma semana, duas! Na primeira arranquei o gesso, o calor e a coceira me infernizaram, mas tive que colocar de novo, o punho doi.

Estou sentindo falta da academia. É isso aí! Detesto o ambiente, mas tem me feito um bem incrível, preciso voltar logo. Faço um playlist, coloco músicas que me animam e o mundo fica concentrado em mim. Esqueço dos outros, nem sei quem são meus 'colegas' do horário. Só conheço os instrutores (que sei os nomes, apesar de muitas vezes confundir) e as outras pessoas só de vista.

Mas voltarei daqui a uma semana, se tudo correr bem (ai correr, que falta faz!) e o médico liberar né? Manterei a comida controlada, senão o processo desanda de novo, e a calma, essa que é mais difícil, pra ficar boa de vez e voltar a me exercitar. E por enquanto é só!

6 de setembro de 2011

Literatura necessária (retificado)

Olá pessoas!

Hoje vou trabalhar na dica! Coisa importante mas pouco discutida, inclusive com os maiores interessados, a pedofilia. Sempre me preocupo com isso, afinal sou mãe e sempre sai na mídia notícias estarrecedoras. 

Li uma matéria tem pouco tempo, sobre uma escritora cujo o livro foi recomendado por psicólogos, pedagogos e uma respeitada ong sueca que foca na prevenção e combate a pedofilia. Claro que fiquei muito curiosa e fui em busca de maiores informações sobre o livro, e como ele aborda com uma criança este assunto tão delicado sem criar problemas para o convívio com outras pessoas.

E então pedi a 'mamis', que veio nos visitar, para trazer lá de Salvador (isso mesmo, em Ilhéus não tem e o frete pagaria dois livros) o Segredo Segredíssimo, de Odívia Barros, baiana do interior, Santaluz, e que se inspirou na própria história.

Ontem à noite nos sentamos, eu, marido e Bia, para ler o tal livro. No final a autora propõe um jogo de perguntas baseado na história, que serve inclusive para aumentar a atenção da criança para o tema. Aqui fiz assim: "Bia, no final teremos perguntas para responder, é sobre o livro, vamos prestar bem atenção?". Foi batata, prendemos a atenção e na hora das perguntas Bia não só entendeu bem o que o livro discutia como em uma das respostas descreveu tão bem que fiquei surpresa (e orgulhosa!).

Então fica a dica, um livro voltado para crianças a partir dos 5 anos que aborda a pedofilia de uma forma leve. Deveria ser adotado pelas escolas que tem esse público. E como cabe a nós, pais, educar e enfrentar todos os assuntos, vamos lá. Leiam antes para não ter nenhum desconforto na hora de compartilhar este momento com seu/sua filh@. 


Atenção: Mandei uma mensagem para autora que respondeu informando que quem quiser adquirir o livro diretamente, e autografado, com ela sai por R$ 22,00 mais o frete de R$ 7,00 (total R$ 29,00) para qualquer lugar do Brasil. O e-mail de contato é: odiviabarros@gmail.com

P.S.: Não estou fazendo merchandise, apenas expresso uma opinião da nossa família.