29 de março de 2013

Sabe quando...

Você descobre que realmente está mudando? 
Quando determinadas coisas que antes seriam impensáveis não abalam. Quando as 'vontades e desejos' não são mais tão imediatas
Quando aprendemos que o outro é importante e a relação atinge O nível a tal da maturidade e não é abalada por qualquer coisa. 

Quando a internet já não é como antes.

24 de março de 2013

E durante a ida - o Salsaretti

Fiquei devendo um post para Jorge do Salsaretti. Aí vai então Jorge, atenção!

Pra começar deixa só eu explicar do que se trata. Na ida para buscar Bia em janeiro, conheci no avião o Jorge que me ouviu falar do Rojec e me perguntou se eu trabalhava numa indústria. Explico de novo: Rojec é aquele lacre plástico redondinho que vem nos potes em geral, que a gente tira com a faquinha e pluft, num passe de mágica sai aquela pressão e conseguimos abrir potes sem ninguém. Tem em requeijão, latas de molhos, etc.

Aí conversa vai, conversa vem, me contou que é da Bahia e como o mundo é um ovo de codorna tem casa do condomínio dos meus sogros (êta mundinho fiofó)! Ele me perguntou se eu usava o Salsaretti e eu disse que não, prefiro o Elefante (extrato de tomate) e atualizando a informação tenho preferido tomates pelados (ui!) em lata e o Pomarola caseiro pronto (maravilha, lá mais no fim conto). 

Então ele disse que eu usasse e mandasse um e-mail para a empresa que ele saberia a minha opinião. Disse que o molho é totalmente pronto para consumo o que encheu meu coração de alegria (detesto fazer a unha vermelha e perdê-la na cozinha cortando tempero) e prometi que assim que usasse escreveria aqui, e assim o faço agora. 

E então começou uma saga em busca do tal.

Deu um trabalho da zorra pra encontrar, eu particularmente já tinha pensado em quando fosse em Araçatuba ou Campo Grande compraria, experimentaria e daria o meu parecer, mas quando não imaginava mais eis que encontro 
o Salsaretti Basílico 500g num mercado daqui mesmo. O que vem descrito na formulação (afinal é um produto industrializado!): azeite de oliva, sal, açúcar, tomate, cebola, manjericão, alho e espessante goma xantana (é o que usamos quando não colocamos glúten, pra dar liga rs).

Como boa cliente oculta (dessa vez na cara e de graça, aproveita!) lá vai Jorge, usei 2 potes de 500g do Salsaretti basílico numa lasanha hoje: 

* Amo pote de vidro, na minha linda cabecinha são menos ruins que latas...

* Odiei abrir o pote. Não tem Rojec gato...o que significa que tive me acabar pra conseguir abrir (no fim das contas pedi a marido). Sem falar no lacre que dos 2 vidros não saíram inteiros, tive que usar faca.

* Aparência muito ruim do molho. Grosso demais, fiquei com a sensação de que tinha que ser diluído um pouco por conta da textura pesada. E com muitos pedaços de cebola inteiros, que pra quem tem criança é chato, apesar da minha comer. Parece uma papa mal desembolada...não gostei.

* Não é um molho aromático, nem um pouco. Abri o vidro e cheirei (manias que adquiri com o tempo - cheirar tudo!) e senti um cheiro oleoso (nem venham me dizer que isso é tato, o nariz é meu!) como bom baiano você vai me entender - cheiro remoso. 

* O sabor não é tão ruim, mas é ácido demais pra um molho pronto e deveria ter um pouco mais de gosto de tomate. Dá a sensação (no paladar) de que é um molho misturado, e não puro (entendeu?). Inclusive achei adocicado, o que me causou estranheza já que estava ácido!

Mais um detalhe. Como usei no final de semana passado o novo molho pronto Pomarola tipo caseiro manjericão fresco (que segundo o fabricante só tem produtos naturais - uhuuu nada de perder temperos e tomates em casa!!!) fiquei mais crítica em relação aos molhos. Como sempre escrevo aqui, não sou flor que se cheire, mas sou justa também.

Então fica a minha opinião do Salsaretti para o Jorge, e sinto muito, mas esse sabor eu não uso e nem recomendo.

Minha indicação para o povo é do Pomarola tipo caseiro - os receitas também são ótimos - (pena que não tô encontrando, vou em Araçatuba final de semana que vem, trarei as caixas hahahahaha). Eu que cozinho só com temperos, sem caldinhos prontos e evito produtos industrializados achei TUDO esse novo molho. Experimentem! 

Aproveitando, Denny (meu amigo tá?) vou testar os produtos de limpeza que me recomendou (só me manda de novo os nomes, só lembro de um rs) e escrevo aqui. Manda logo que essa semana tenho que fazer mercado em SP!



12 de março de 2013

Não tá fácil pra ninguém

Depois do meu apelo desesperado por um estágio acredito que estou no caminho certo. Mas isso conto depois.

Quem já pensou que fazer faculdade à distância é fácil? Não falo dos preconceitos que isso gera o principal é da falta de interação entre alunos e professores, como se os professores presenciais fizessem A diferença, salvo exceções claro mas da dificuldade que é se manter focado e determinado até o fim. 

Estou no último semestre e vou dizer é mais difícil do que quando eu tinha que sair cedão pra sentar a bunda na cadeira da faculdade. Porque? Porque não tenho que dar satisfação daquelas horas a ninguém. Antes eu ia, cumpria o cronograma, recebia minha presença e pronto! Agora? Eu sento, leio, assisto aula online, tenho que responder fóruns e ler a burrice de colegas que escrevem mais errado que Bia, vou fazer provas e sem NINGUÉM pra me dizer que daquele horário até aquele outro é exclusivo para isso. 

E ainda tem os que acham que por ser EaD eu não faço nada. Realmente, nada...nada na hora que tem que ser. Pois enquanto eu leio as aulas, as batatas estavam cozinhando, aí tenho que me lembrar que preciso desligar depois de x tempo para não secar a água. E não, não tenho como parar exclusivamente para estudar. Até tento e muito, mas para completar o desânimo bate a cada milésimo de segundo ADM é extremamente repetitiva, eu sabia que deveria ter feito engenharia afinal eu JÁ SEI AQUILO ou então EU JÁ VI AQUILO em outra matéria...resumindo UM SACO!

E nem me venham dizer 'calma é um último semestre, tá acabando...' porque fico me perguntando porque comecei, aí a irritação é maior. Guardem seus incentivos pra'quele momento que estarei na reta final do finalzinho como se isso fosse acontecer algum dia em minha vida pra dar O estímulo. 

Me lembro de uma vez que conversando com uma triatleta e ela reclamando que na Bahia não vamos pra rua incentivar, dar apoio, gritar, bater palmas, etc, quando tem esse tipo de competição. Que é muito importante pra quem está ali, esgotando as últimas forças... Então é isso. Quando eu estiver esgotando as minhas últimas forças me animem. Vamos tentar pra ver se dar certo.


P.S.: Desabafei, agora lá vou eu encarar novamente Orçamento Empresarial - SACO

8 de março de 2013

Preciso de um estágio!

Acho que vou colocar meu CV aqui! Preciso de um estágio com urgência, quero que formar este semestre... 

Já ofereci meus serviços de graça, e até agora NADA! Ok, tenho restrição de horário, mas sei que sou suficientemente eficiente para dar conta do que for no horário que tenho disponível. Ouvi de um orientador de estágio em uma empresa que estagiei que disse o seguinte 'Não estava acostumado com profissionais como estagiários, parabéns!' Isso é um elogio ou não? Por qual motivo então não consigo nem de graça???

Sei que estou numa cidade nova, mas tá duro demais. Não consigo me concentrar em mais nada por conta disso. 

É isso, deixa eu ir aqui tentar mais um pouco.

5 de março de 2013

Mudei e mudei

Nada de trocadilho barato e infame. Mas é isso mesmo. 

Mudo de casa, de gosto, de hábito, mas ainda assim mantenho muitas coisas.

Não desisti de sonhos, projetos e do desejo de mais mudanças.

O momento é de reajuste. Comigo, com a minha família aqui constituída, com meus projetos e principalmente aceitação.

Aceitar que o mundo não irá mudar apenas por mim e para mim. Aceitar que o que é melhor pra mim pode muitas vezes não ser bom pra mais ninguém, mas ao invés de ceder pura e simplesmente por ter que satisfazer os outros, ter a chance de discutir sem brigar e expor meu ponto de vista. Posso e não vou mudar isso achar que o meu ponto de vista é o melhor, mas não quer dizer que eu não entenda e aceite o seu e até ceda, quem sabe!.

Agora o que mais tenho aprendido é que preciso parar. Já sei que não sou mais a workaholic de 3 anos atrás. Mas também sei que eu ajustando posso encaixar várias coisas na minha rotina, mas sei também que ela jamais vai ser como antes. Não tenho mais 20 anos e nem o desejo de conquistar o mundo. 

Não quero uma casa no campo, me contento se ela for emprestada para uma temporada apenas ou até uma hotelzinho simples tá servindo. Quero é ser feliz e viver tranquila. Afinal, quem não quer?