29 de julho de 2013

Será que está frio? Ou quente?

Hoje falta mais que amanhã e menos que ontem. É um alento.

A recuperação é lenta, demorada, cansativa. Mas está acontecendo. Um dia tira a tala, semanas depois coloca o pé no chão.

Recupera o músculo com 3 séries de 1, 2, 3,...12 movimentos na fisio. Levanta a perna, abaixa, coloca peso, tira peso, diminui os movimentos, intensifica os movimentos, desistir jamais!

Já consigo ficar de pé sem as muletas, mas não tenho força pra dar a passada sozinha, preciso do auxílio. Consigo me mexer mais, mas sinto dificuldade em alguns movimentos. Reaprender a usar o corpo. Quando não tive um membro saudável entendi a importância do fortalecimento de todo o resto. 

Vejo aquele músculo que nem sabia que existia, muito menos pra quê servia se desenvolver e dá vontade de pular. Da frente da panturrilha, do lado de fora. Sim, ele existe! Ajuda a sustentar! Sim!!! Eu vejo!

Enquanto as gelecas panturrilha e coxa se desenvolvem, eu teimo em buscar o equilíbrio do corpo e da alma, a tranquilidade e a paz que tenho que ter até estar totalmente recuperada. E sei que não está longe.


20 de julho de 2013

Falta um pouco

Agora são 14 dias (ou 13 ainda em Salvador) para ir pra casa. 

Minhas metas para o primeiro semestre ficaram meio frustradas, mas considerando que estou em curso regime especial por enquanto pela faculdade, o meu primeiro semestre ainda não acabou rs.

A força da palavra e do pensamento é mais que poderosa e preciso me controlar quanto a isso. Eu reclamava tanto no primeiro semestre que estava cansada que fui descansada 'natoralmente'. Mesmo quando eu já sabia que ia dar conta de tudo e já tinha parado de reclamar verbalmente sentia um cansaço e me repetia mentalmente isso constantemente, mas descobri que eu não estava tão cansada assim, era só a quantidade de responsabilidades em tão pouco tempo para dar conta, e que estava prestes a acabar, hunpf!

A frustração de não continuar com os planos pré-estabelecidos é inenarrável. Dor e revolta fizeram meu mal péssimo humor disparar. A minha agressividade foi a um nível que até me assustei pena que foi depois de agredir todos os lados, mas não vou ficar remoendo, ainda assim sinto muito

A dependência e a saudade da rotina, do marido e até do cachorro me deixaram estressada, mas agora estou com um misto de ansiedade e preocupação. Eu sou assim. Já estou planejando os próximos passos, organizando mentalmente a rotina administradora nata e pensando o que falta fazer antes de ir para  facilitar minha vida.

Não vou me prolongar mais, é o que tem pra hoje.

11 de julho de 2013

Qual é a verdadeira prioridade?

Não posso ficar tanto tempo parada, fato. Penso em excesso. Agora por exemplo tenho pensado em quais prioridades são prioridades.

Tenho pensado em como faz tempo que não viajamos. Nem venham questionar se o que fizemos entre Salvador e Três Lagoas não é uma viagem. Ou então quando viajo pra fazer provas. Pra mim tenho certeza que pra todos não é viagem. É deslocamento rs.

Vira e mexe faço listas mentais de lugares pra conhecer, passeio nos sites de passagens, calculo distâncias de carro e o quanto gastaríamos de combustível... Sempre faço isso. É um costume que adquiri num tempo que trabalhei com turismo e quando fiz o técnico na área também.

Hoje as nossas necessidades em viagem são diferentes de 7 anos atrás sacou que é desde o tempo de Bia né?. Se eu gosto de conforto? Sem dúvida, mas entre ficar confortável e viajar, prefiro viajar. Como diz uma amiga mochileira de Curitiba 'a gente se espreme em albergue mas conhece o mundo todo'.

Ainda não cheguei no nível de conhecer o mundo todo, ainda estamos nas redondezas, mas o desejo de voltar a colocar o changecar seria changeman mas como é carro, adaptei tá môr na estrada tá batendo forte. Antes que mudemos de novo né?

Isso tudo porque comecei a pensar que morei do lado de alguns lugares e simplesmente não fui conhecer! Nem ir no sábado pra voltar no domingo. Tem a questão financeira mas sempre tem e as prioridades. Tenho revisto as prioridades, pois o financeiro não vai mudar por enquanto hahahahah.

Tudo isso pra dizer que quero voltar a acampar. Não é a minha estadia preferida, mas dizer que não gosto é mentira. E outra, prefiro dormir numa barraca num lugar diferente que ficar em casa sem perspectiva nenhuma de viagem. E quem me conhece bem, sabe que quando desejo uma coisa começo a pesquisar muito demais até pra tomar decisões. Agora por exemplo, a nossa barraca não cabe nós 3. Melhor, caber cabe, mas ninguém dorme além de Bia né? Temos uma iglu pra 3 já éramos espaçosos desde antes de Bia, que quando colocamos o colchão inflável não cabe quase nadica mais.

Tenho visto barracas melhores que a casa que moro o.O (pior que é verdade), mas não pretendo ter uma de$$as. Acredito que uma maior com a tal varanda/sala marido veio com essa depois de Bia e agora comprei a ideia será melhor. Então na busca achei as Quechua que são verdadeiras 'monstrengas' no tamanho/peso, mas também pelo que li são as melhores pra chuva não que eu deseje chuva em camping, mas vai que que tem manutenção, garantia e conforto. 

E antes que me perguntem, são caras sim e é um projeto, já que por enquanto viagem só de retorno para casa e para terminar a facul hurruuuu.




7 de julho de 2013

Vesti azul! Minha sorte então mudou

Essa música me lembra o período em que mamis fazia evento em asilos com o Grupo Sorte aqui em Salvador. Uma longa história, sobre o grupo, que não vou contar agora, mas que serve (a música) para o sentimento do dia por conta do vestido azul que coloquei.

Tomei um banho de quase corpo inteiro. Como o médico deixou para tirar os pontos só na próxima semana prefiro não molhar o curativo por mais que a técnica de enfermagem tenha dito 'se molhar, tira, seca e faz de novo', sou frouxa, então deixa esse negócio secar todo pra tomar banho de corpo inteiro.

Lavei os cabelos, mamis lavou O pé e eu lavei o resto todo com bucha hoje é domingo, dia de geral. E fiquei pensando, na verdade tem sido um pensamento recorrente, mas acredito que vale registrar por aqui.

Poderia ter sido pior, não não, não é aquilo de ó e se eu tivesse quebrado a bacia e não pudesse levantar, ou o joelho, coisas do tipo que eu já pensei. Mas poderia não ter a opção de vir pra Salvador por questões econômicas viva o acúmulo de milhas, por questão de não ter quem pudesse me ajudar, auxiliar. Já pensou? Ter que ficar em casa sozinha com Bia enquanto marido viajasse? Se tivesse que arranjar alguém pra tomar conta da casa e de mim? Sei que eu poderia contar integralmente com o pessoal lá, os amigos e colegas, mas cada um tem a sua vida, tem as suas coisas pra fazer.

Eu sei que quando uma pessoa se dispõe a ajudar geralmente é porque quer, mas eu não gosto de incomodar. Não estou escrevendo incomodar no sentido de não ter humildade de pedir e sim de saber que muitas vezes a pessoa está ajudando mas tem a vida dela pra tomar conta. Nunca disse que nos bastamos sozinhos apesar de que muitas vezes seja esse meu desejo rs.

As questões de acessibilidade vou escrever com calma, assim que puder me locomover com mais facilidade, até lá ainda estou no teste e aprendendo sobre esse problema.

Deixa eu voltar pra não perder o fio da meada

Não quero que ninguém diga que mudei de opinião, estou ainda muito P da vida com tudo que me aconteceu. É duro e difícil aceitar ter que ser parada à força, principalmente quando sei que faltava tão pouquinho pra começar a ser diferente.

Mas também acho que já reclamei quase tudo que tinha pra ser reclamado. Como todos estão com a maior paciência pra ler/ver minhas irritações (ou aceitando por saber o quão difícil tem sido pra mim) resolvi agradecer. Nada de hipocrisia e demagogia tá? Muitas vezes a forma como agradeço pessoalmente não é feita da forma como deveria, seja pelos atropelos da correria do dia a dia, seja porque o contato é feito mais à distância. E desculpa se alguém não for citado.

Preciso novamente agradecer a Krisna lá em Três Lagoas pelo suporte e apoio naquele momento. E a ela e Katy por estarem sempre em contato comigo, me fazendo rir, mudando o foco de minhas preocupações e me mantendo informada sobre os acontecimentos lá no Guaicurus.

A Cella por ter marcado a consulta pra mim, pode ser besteira, mas é uma diferença da zorra você chegar de tão longe e saber que vai ter suporte imediato.

A tia Fafá, tio Mauro e Bruninha por terem ficado com Bia vááários dias, até ela resolver que queria ficar com a mamãe, rs. A Gláucia e D. Eugênia (mãe do tio Écuro) por também ficarem com Bia. E a sogritcha e sogrão por estarem sempre por perto, também ficando com Bia e me ligando pra saber das providências da cirurgia, da viagem...

A Denny e Cíntia que ficam conversando e aguentando meu mal humor no facebook, insistindo que virão me visitar e eu negando mal humor é algo contagioso, rs.

Ao pessoal do grupo de ADM 8º da facul no face eles nem vão ler isso aqui pois acho que nem sabem da existência, mas o registro está feito  por estarem sempre enviando mensagens sobre tudo que está acontecendo e mesmo sem nem ter ideia de quem sou ao vivo, me apoiando e torcendo pra minha formatura acontecer logo, junto com todos.

A todos que oraram por mim.

Ao marido né?

E a mamis, meu mais que especial este agradecimento, por ela que comecei a escrever. Ela sempre manda que eu agradeça, por mais que não acredite, todos recebem meu agradecimento diariamente. Obrigada pela sua dedicação integral e irrestrita. Obrigada por aguentar meu péssimo humor. Obrigada pelas risadas. Obrigada pelo apoio. Obrigada pela paciência e pela falta dela também rsObrigada por me perdoar. Obrigada por me amar mesmo e ainda assim. Obrigada por nos amar assim e me ensinar diariamente a amar e aceitar as dificuldades.

Sou melhor escrevendo. Minhas palavras ditas muitas vezes são ásperas, minhas ações idem. Mas sei reconhecer. Gratidão é a minha palavra quem leu/assistiu comer, rezar, amar entende. Tanto de mim quanto para comigo.

E a todos, novamente, meu muito obrigada! E continuo doida pra voltar pra casa hahahahahaha