28 de novembro de 2013

Há gentileza em Três Lagoas

Escrevo com muito prazer sobre como as pessoas estão me ajudando. 

Precisei parar o carro para conserto, pois não contei aqui, mas uma carreta me arrastou com Bia no carro. Não aconteceu nada conosco, mas as portas do meu lado ficaram quase imprestáveis. No outro dia de manhã bateram na frente do carro eu disse que tava duro 2013?.

Adiei o máximo que pude e que não pude essa parada, mas não tive escolha. Ficar sem carro numa cidade que não tem nem um ruim sistema de transporte público é duro demais. Alugar outro seria uma opção, mas o que deixaria na locadora é obsceno, já que aqui como quem mais aluga é empresa, sobra pra pessoa física, ou seja, os preços para locação de carro aqui são mais altos que em outras cidades traduzindo: me ferrei. Isso de gastar sem retorno me irrita profundamente, resultado? Não aluguei e botei o corpitcho pra suar no tênis minhas pernas doem, mas fazer o quê? rs.

Mas dessa necessidade descobri pessoas melhores que eu imaginava. A mãe de uma coleguinha da Bia está me dando A ajuda. Tem levado e trazido a pequena e de quebra as duas ficam aqui ou passam a tarde lá na casa delas, brincando. Tem me dado caronas perfeitas, sabe aquela ligação que você recebe meio dia com 35º na telha e a pessoa diz que te leva de volta pra casa? Pois foi assim *-* thanks Dani.

Aí você conversa com sua amiga que é sua anja encarnada rs que tá sem carro blá blá blá e ela te liga pra avisar que daqui a pouco chega pra resolver seu problema. Owwwww Kri e Katy, thanks!

É muito bom saber aceitar ajuda dá um trabalhão,rs e ser ajudada assim, de boa.

Obrigada a todas e todos que se predispuseram a nos ajudar nessa batalha.

17 de novembro de 2013

Grupo Escoteiro Guaicurus 9º MS

Tem um tempo que estou prometendo escrever aqui sobre o G.E. Guaicurus e agora vou falar sobre essa experiência. Vou contar sobre a nossa nova família.

Eu, Mariana, nunca fui fã de camping e afins. Bichos, insetos e quaisquer coisas que lembrassem mato nunca foram meu forte. Acampei a primeira vez com marido e eu já tinha 20 anos, logo é de se imaginar que jamais eu me meteria numa dessa né? Mas não, ter filha mudou meu caminho.

Quando mudei para Ilhéus busquei informações sobre os Escoteiros por lá, mas naquela época não tinha grupo e Bia não tinha idade para entrar ainda caso tivesse um G.E. .

Chegamos aqui e uma das primeiras coisas que busquei foi o Guaicurus pois Bia já cumpria os requisitos mínimos, 6 anos e meio e saber ler e escrever. Entrei em contato via e-mail com a Chefe Katiana que me avisou quando começariam as reuniões, dali a quase 1 mês, e me programei para levar Bia para conhecer o grupo e quem sabe nós ajudarmos em algo.

Em fevereiro deste ano lá fomos nós três conhecer o Guaicurus para nos encantarmos com as atividades proporcionadas e o conhecimento ensinado ali. Coincidentemente eu precisava de um estágio prático para formar e no meio da conversa enquanto me oferecia para ser voluntária a chefe me ofereceu a oportunidade de realizar o estágio junto ao grupo. Aceitei, claro. Me tornaram a Kaa (não sabe quem sou? Vai ler o Livro da Jângal rs).

Pouco depois de ter começado a atuar junto ao G.E. Guaicurus, comecei a escrever meu TCC com o tema Movimento Escoteiro visto através da Teoria da Burocracia e obtive nota máxima. Quem me deu suporte e orientação mesmo muito atarefada (e bote atarefada nisso) foi a Katiana - nossa Diretora-presidente.

Tive o acidente e quem me socorreu foi a Krisna - a nossa Akelá.

Bia se apaixonou pelo movimento, e não tinha como ser diferente. Eu e marido estamos aprendendo e buscando estudar para poder ajudar mais nas atividades.

Neste final de semana participamos do ELO  2013 - Escoteiros Locais em Operação - acampando em Campo Grande e me trouxe um grande aprendizado. 

Vivi uma experiência completamente nova. Acampamento com crianças, no mato, com chuva e sem marido pra armar e desarmar a nossa barraca. Mas mesmo assim creio que dei conta do recado. Senti medo, frustração, alegria, orgulho, alívio... Foram tantas emoções que hoje, de cabeça mais fresca e quase dormida posso dizer que apesar dos pesares, gostei da experiência continuo traumatizada com aranha :). Saímos de lá e ouvi da minha filha 'mãe quero crescer logo pra ser escoteira!'.

Aos que têm filhos recomendo o Movimento Escoteiro. Um lugar onde se aprende (e reforça) valores que hoje estão perdidos. Ensina a criança/adolescente a se virar. Isso mesmo que você leu. Eles aprendem a viver em grupo, a se cuidar, a respeitar, a dividir e a viver. Não tem PS, Wii e XBox que ensine isso.

Estamos nos preparando para fazer a Promessa Escoteira e sei que será mais um evento de pura emoção.

Aqui vai meu cumprimento escotista aos que me leem:
Sempre alerta para servir e fazer o melhor possível!





7 de novembro de 2013

Reflexões de cozinha

Estou fazendo o almoço de hoje e deixando algumas coisas pré preparadas já quando comecei a divagar sobre a nossa minha relação com comida e peso e acabaram por vir algumas outras e a vontade de partilhar minhas ideias cresceu, vamos lá.

Estava fritando o bacon pro feijão e pensando em como ficamos reféns da aparência estética mostrada pelas mídias, inclusive sociais. Em como estamos sendo bombardeados 24h por pessoas magras/fitness felizes. Na verdade esse pensamento veio a tona quando li um texto num blog, infelizmente não lembro qual agora, falando sobre isso. 

Enquanto meu bacon estalava na panela fiquei me perguntando se é mesmo isso que eu quero. Não o bacon na comida, mas a privação de coisas gostosas e saborosas da vida que tenho que fazer para atingir a tão sonhada forma ideal. Ideal pra quem mesmo?

Dizer que estou à vontade com meu corpo é hipocrisia, mas daí a dizer que sou infeliz por isso é uma mentira deslavada e vou dizer porque. Senta que lá vem história... Quando entrei na adolescência meu corpo mudou pouco. Os seios cresceram muito, ganhei poucas curvas e continuei muito magra, seca mesmo. As canelas continuaram finas e os braços então nem falo.

Mas o tempo foi passando e comi muito de tudo muito. Engordei um pouco, as curvas apareceram discretamente e ainda assim não poderia ser considerada um filé. Quando engravidei o negócio desandou muito. Não, não estou culpando a gravidez, justamente ao contrário, estou me libertando dessa agonia de justificativas. Engordei muito. 30kg pra ser bem exata. Pra muita gente não era muito 'porque você é alta'. Mas eu sabia que estava diferente, tenho espelho e dois olhos perfeitos né?

Vieram as frustrações, a culpa e as desculpas. Aí chegaram as doenças. Todas aquelas que sabemos que podemos ter quando se está em obesidade grau I. Hipertensão, colesterol e triglicerídeos altos, joelhos mais que podres e por aí vai.

Busquei emagrecer inicialmente pela saúde e pela estética quando me deparei com um mundo fitness virtual. Não sou contra, sou a favor, mas sempre tenho a sensação que não é bem assim, sabe? Aquela coisa que fica reverberando de 'ó como sou saudável, ó como sou magra/malhada'. Não quero ser assim e nem pretendo. E não vou engordar horrores para ser emagrecida numa bariátrica (sim, é mais comum que se imagina) pois a minha ideia não é essa. 

Novamente, não estou dizendo que fico confortável com a barriga saliente, mas não vou ficar num sofrimento sem tamanho nunca fiquei de verdade por causa disso. Ah, o que eu quero dizer com isso? Quero dizer que vou continuar controlando a nossa alimentação pela questão da saúde, que vou continuar na luta para emagrecer mais pois me sinto melhor e meus joelhos também mais leve mas que não vou ficar numa sofrência sem tamanho por conta disso. 

Que na nossa casa vai se continuar comendo pizza, tomando sorvete, comendo bolo de chocolate com calda de chocolate, churras e fritando bacon para o feijão. Mas que também vou continuar me exercitando e tentando manter meu equilíbrio interno. 

Fiz até hoje 66 sessões de fisioterapia e 3 de RPG para conseguir andar direito e nesse processo aprendi que tudo tem um tempo para acontecer mas que nós precisamos tomar conta da nossa vida. Não adiantaria só pensar em como seria bom usar um salto de novo já usei um pequenininho huruuu se eu não buscasse isso com afinco.

E assim será norteado meu culto ao corpo, preciso estar saudável e me sentir linda mesmo que não use mais 38. Deixa eu ir que o feijão tá pronto ;)