27 de maio de 2014

Ainda sobre os 6 pinos

Me dei conta agora a noite que a 1 ano atrás eu estava com a perna pra cima em busca de vôo para Salvador.

Krisna me socorreu pela manhã e ficou à tarde com a Bia.
Meu vizinho na época, seu Antônio, segurou Nero.
Marido voltou às pressas de um treinamento. E dois colegas dele foram muito solícitos.
Marcella marcou o médico que posteriormente iria me operar.
Dr. Marilton me operou.
Minha mãe perdeu a voz e depois cuidou de nós por 2 meses.
A família e amigos ficaram com Bia, foram me visitar, me mandavam mensagens pelo face e me faziam rir muito e superar aquele período doloroso e triste, mas de muito aprendizado.
Drª Alessandra minha primeira fisioterapeuta e me ajudou a colocar o pé no chão a primeira vez.
Drª Maria Carmo minha segunda fisio e continuou me auxiliando na recuperação dos movimentos do pé.
Drª Luciana Lucas minha terceira fisio e colocou meu quadril e joelho na posição correta.

Um dia após o outro e já faz 1 ano. Dor? Ainda sinto um pouco em momentos diversos, mas nada que não possa suportar/superar.

Acredito que nunca cansarei de agradecer. 

Obrigada!

Levanta sacode a poeira e...

Nada.

Muitas vezes busquei oportunidades que sempre acreditei que nunca viriam para mim. Na verdade eu fiz essas oportunidades, elas não dependeram de ninguém além de mim.

Mas e aí? Como terminou? Não deu eu nada. Às vezes precisamos parar, colocar a cabeça no lugar e dar lugar ao feeling intuição, sexto sentido, qualquer um deles serve e restabelecer (? ou reestabelecer? Preguiça de ir ver no Houaiss) suas prioridades.

Dificuldade de resolver coisas simples começam a angustiar demais para o que seria tão fácil.

Então pronto. Para, volta para trás e aguarda de novo. Quando puder fazer acontecer de novo, vou lá e faço.

Mas o apoio que recebo é a melhor coisa. De todos os cantos

Até a próxima correria.

17 de maio de 2014

Trinta e um's dias

'Por tanto amor, por tanta emoção, a vida me fez assim (...) '
'(...)Longe se vai,sonhando demais, mas onde se chega assim(...)'

Me dei de aniversário coisas importantíssimas:

2 e-book's sobre finanças pessoais pra ajustar a vela de uma vez
Batom vermelho, rímel e lápis de olhos a prova d'água sou chorona mesmo
Voltei pra academia
Estou indo regularmente para a acupuntura

Tá bom ou quer mais?

Sim, teve mais.

Mas conto outra hora :-*



14 de maio de 2014

Pensei melhor e...

Desisti de escrever sobre o que ganhei e perdi antes dos 30. Se fosse enumerar quantas decepções, frente às vitórias, que tive poderia entrar em depressão.

Muita gente ia me chamar de ingrata, insensível. Por isso desisti de escrever sobre isso. Mas a partir dos 30 já posso começar uma boa lista que também não vou fazer pra que os invejosos não me jogarem as belas energias que possuem.

Só tem uma coisa sobre o que quero escrever, nunca imaginei que realmente não sabia de muita coisa aos 20 anos, nunca imaginei que aos 30 as coisas mudassem de figura. Jamais imaginei que a maturidade teria um gosto tão diferente.

2 frases eleitas por mim pela passagem do dia de hoje:

'Não estou envelhecendo, estou me tornando um clássico'  
-não sei de quem é

'A tragédia da vida é que ficamos velhos cedo demais. E sábios tarde demais.'
Benjamin Franklin






11 de maio de 2014

Preciso dizer que te amo

Que dificuldade de conseguir escrever hoje...

Eu comemoro o dia de hoje por causa dela, e faço a outra também comemorar.
Eu aprendi a ter mais paciência por causa dela, e faço a outra ainda perdê-la comigo.
Eu aprendi a cozinhar por causa dela, a outra não me ensinou a primeira receita, mas já tenho um livrinho com as receitas dela.
Eu acordo cedo por causa dela, a outra já não me acorda faz tempo.
Eu durmo tarde por causa dela, e também por causa da outra e dos nossos longos bate papos.
Eu aprendi a ser mais independente por causa dela, e ainda dependo da outra.

Mas por causa das duas penso num futuro melhor pra mim. 
Mas por causa das duas eu ainda perco o sono e a fome, ou como mais :)

Filha, hoje comemoro este dia por sua causa, te amo.
Mãe, hoje a senhora comemora este dia por minha causa, te amo.


Obrigada Deus por elas na minha vida.


8 de maio de 2014

Compras mais econômicas

Êta que 2013 pra 2014 tá puxado viu? Quase nem tenho tempo de vir aqui escrever.

Estudando, lendo e vivendo a vida real têm sido a constante por aqui, por isso tenho me afastado aos poucos das atividades on line. Mas por enquanto, pelo menos, o blog será mantido, nem que seja pra consulta de algo 'importante' que eu não lembre (provavelmente dica de alguma coisa,rs).

Mas deixa eu contar umas coisas.

Gente, fiquei rosa bebê que detesto por sinal com a real diferença de preços do solo brazuca pra gringolândia. Calmaê! Antes de acharem que fiquei rica e que fui nas terras estrangeiras, só fiz atravessar de carro de Corumbá de novo até Puerto Aguirre - Bolívia, o que significa 5 minutos de carro. 

Aí vem a P&%$ sacanagem tributária deste abençoado por Deus vulgo Brasil, paguei R$ 67,00 (isso sessenta e sete reais!) em 2 peças da Tramontina. Uma bandeja linda de morrerrrr e uma manteigueira (se estiver errada a escrita a culpa é do corretor :p). Aí como não me guento já fui na busca do preço aqui no Brasil e pasmem... Calma, não levanta ainda... Bandeja R$ 170,00 e manteigueira R$ 78,00!!!!!

Vamos montar a continha???

  manteigueira + bandeja (no Brasil)= R$ 78 + R$ 170 = R$ 248
Total no Brasil - Total pago na Bolívia = R$ 248 - R$ 67 = R$ 181


Economizei R$ 181,00 

TÁ BOM OU QUER MAIS?

Mas gosto de números absurdos Administradora loka, então vou colocar em porcentagem a diferença de preço:
270%

Isso é sério gente. Já tinha experimentado o valor mais barato de roupas lá (uma camisa D marca famosa aqui não sai por menos de R$ 200, lá custa 20 reales mango curta ou 25 reales comprida) e nem venham com aquele papo de 'mas não é original' que só respondo do jeito mais doce que sei E QUEM FAZ AS ROUPAS aqui é outro povo? Aqui tem escravo bolivianos dessas marcas 'chiques, famosas e caras'. 

E nem me venham com o discurso de carga tributária, incentivo a exportação etc etc etc. Sei disso tudo e concordo em boa parte. Mas daí um produto made in Brazil custar ali do outro lado da rua literalmente 270% a menos é de doer na alma!

Pra continuar nas diferenças absurdas de preço, comprei uma bolsa original de marca famosa, belga, pra Bia e paguei menos da metade que pagaria aqui. Ou seja, em torno de 90% mais barata mesmo sendo importada para ambos países.

Me recuso a comprar nada além do necessário por aqui. Já não sou de gastar mais, ainda bem,rs e agora então é recusa máxima.

Ah, ia esquecendo de uns itens que me interessam muito. 

Sabe umas botas, sapatos de trilha, etc? Aqui, do mesmo fabricante R$ 500, lá eu experimentei igualzinho R$ 340 isso sem pechinchar. Equipamento de camping de boa qualidade com o preço igual ao daqui, sendo que o nosso é daquele jeito nas coxas de ser.

É duro demais constatar essas coisas. Por mais que queiramos manter as divisas no país como fazê-la? Um tênis original vindo de fora, tributado pela RF sai mais barato em torno de 20 a 30% considerando frete, etc. Como o empresariado brasileiro pode sobreviver com isso?

Pense aí e tente me responder viu? Que eu já desisti.