10 de setembro de 2015

Um dia me senti pior

Aí fiz as visitas aos médicos. Ortopedista, clínico, cardiologista, até que fui diagnosticada com fibromialgia (FM, fibro ou como diz uma amiga 'somos mulheres com fibro e de fibra').

Já estava longe de casa havia 5 meses, mesmo com visitas que algumas vezes duravam 48 dias para acontecer, estava suportando a distância. Até que por coincidência o psiquiatra que atende numa cidade próxima estaria lá naquele final de semana. E assim fui para aquela consulta que adiei por meses.

Sabia que não estava bem, já estava fazendo o tratamento para a fibro direitinho, fazendo pilates, mas o sono era irregular, a tristeza pela distância e diferenças culturais (além de outras coisas que não posso citar por ética) me afetavam de uma forma não tão normal quanto antes. Muitas dúvidas e problemas a resolver. O que seria do meu nosso futuro? As incertezas eram demais.

Até que a pessoa com a qual ia fazer a permuta me dá a notícia de que não iríamos fazer a troca, perdi o chão. Entrei em contato com o RH da unidade dela e me garantiram que eu poderia ir e devolveriam o código de vaga.

Primeira perícia após o afastamento. Terrível. Saí pior que entrei, mas fiquei afastada.

Vários problemas a serem resolvidos,  não só os próximos passos.

Novo afastamento, nova perícia. Senti falta do primeiro perito. A perita que me atendeu me disse 'estou te fazendo um favor'. 

Depressão agora tem nome de favor.

Então resolvi desabafar com um amigo. Pessoa muito amada e querida por mim e que tem uma trajetória de superação dia após dia. Nos conhecemos a um bom tempo. Brinquei com ele dizendo que um dia iria parar no candomblé e a resposta foi direta e certeira 'eu sempre soube disso'. Engoli seco do outro lado das mensagens. Aí ele me perguntou se eu faria um ebó que ele me passasse. Claro! Além da amizade tenho confiança para entregar a minha cabeça à ele. 

Seguindo tudo à risca. E assim dormi a primeira noite em meses sem remédios, sem acordar pela madrugada e ficar zanzando e nem ter uma insônia de invejar quem dorme. Sensação de paz e tranquilidade. De que haverá o meu lugar ao sol, mesmo que a caminhada seja lenta e tortuosa. 

Não posso esquecer que não vim ao mundo a passeio e sim a trabalho, muito trabalho.

P.S.: Meu querido, muito obrigada. Se mandar, eu obedeço!

15 de junho de 2015

Sobre a nova descoberta

'Dos 18 pontos de dor é necessário ter 11 para ser diagnosticada com fibromialgia Mariana. Você tem os 18.'.  Fala do reumatologista que está me tratando. Antes dele foram dúzias de médicos e analgésicos, todos sem resultado. Até que minha querida amiga fibromiálgica enfa Thata me deu uma luz, já procurou um reumato? Aí na massagem como outra querida amiga que se tornará fisio ainda esse semestre, Rose, Mari você deve ter fibro, procura um reumato. E a minha profi de Pilates, educadora física, e amiga pra variar rs não é possível guria, você precisa ir num reumatologista pra ver se essas dores não são fibromialgia, tenho alunos que tem as mesmas dores. Não pode ficar assim...

Dói, muito. Muitas vezes me olham e pensam que deve ser 'frescura'. Não é incapacitante será?,  é uma síndrome. Se algum dia vou me curar? Não sei e isso dói mais fundo. 'Não tem cura, apenas controle' li em algum lugar. 

Viver cada dia como um é quase impossível pra mim, gosto de planejar o futuro. 

'Geralmente pessoas perfeccionistas, ansiosas...'. Sim doutor, eu tento ser muito boa em tudo que faço e se não posso é uma grande dificuldade abrir mão sem tentar até o último instante. Quando desisto de algo é como se estivesse uma ferida profunda que não cicatriza, fica ali latejando pra lembrar que errei, que desisti - mais uma vez.

'Você nunca termina nada que começa!' JAMAIS repita isso constantemente para alguém. Isso pode não magoar, ou parecer que não. Cada um sabe seu limite. Às vezes precisamos ouvir algo assim pra receber um empurrão pra continuar. Mas não insista. Evite que outro tenha essa síndrome. Algumas suspeitas de início da fibro é após eventos graves (psicológicos, físicos).

O que eu sinto? Dor. Dor no corpo todo o tempo todo. Insônia/mal dormir. Irritabilidade por causa da dor. Dores de cabeça constantes, enxaqueca. Me sinto encurtada, coisa que nunca fui. E travo... Não consigo ficar na mesma posição muito tempo. Quando está frio é pior. De manhã pra levantar tem sido um suplício. Trabalho sentada e várias vezes levanto seja pra beber água, seja pra ir na sala de algum colega esticar as pernas

O que piora? Frio, stress, sedentarismo, manter a mesma posição muito tempo. Tô no sal, perceberam né? Morando num lugar que faz 6º no sol brrrrrrr, longe dos meus...

O que posso fazer para melhorar? Exercício físico aeróbio de baixo impacto - agora me diga...com esse frio. Vou fazer o que? Caminhar na ventania gelada? É ruim viu! Alongamento. Ok, pilates conta, então vou manter. Banhos quentes. Acupuntura meu dotô ficou lá em Ilha. Massagem marido vamos brincar de ficar ryku? Alimentação dizem que melhora. Ahnrã... se ficar sem lactose já é difícil, prefiro nem comentar... E remédio. :'(

Mas estou tentando não sofrer de saudade de casa. Tento não ficar parada. Tento comer bem. Tento ser regular no Pilates. Tento ficar aquecida. Tento tento tento tento... e tomo remédio. 

Quer saber mais sobre a Fibromialgia? A Sociedade Brasileira de Reumatologia criou uma cartilha. Clique aqui e terá acesso a ela, em pdf. 

E tomara que amanhã eu acorde melhor, pois a previsão é de -1º


12 de junho de 2015

Todos os dias

A cada dia, hora, movimento, palavras ditas ou não ditas ou mal ditas ainda assim eu te amo. 

A cada quilômetro rodado seja para re-união, seja para aproveitarmos juntos.

A cada dor e a cada lágrima enxuta. 

A cada lágrima de felicidade pelo reencontro. E a cada lágrima que compartilhamos pelo orgulho e amor pelo nosso bem maior.

A cada borboleta que insiste em voar no meu estômago a cada reaproximação.

A cada sonho, a cada acordar e a cada mensagem bd.

A cada teimosia. A cada aprendizado.

Vamos continuar caminhando juntos?

Te amei. Te amo hoje! Te amo pra sempre!




 

27 de maio de 2015

Casa


Hoje estou aqui pensando na vida e me perguntando o que quero e incrivelmente a resposta foi a mais simples possível, voltar pra casa. Quero cuidar do que tenho, fazer manutenção no que é preciso. Sabe aquelas coisas simples? Só queria isso mesmo.

Não, não significa que deixei de ter desejos até de consumo e sonhos. Mas o mais importante pra mim atualmente é ter minha vida louca de volta. Aquela correria da manhã pra Bia não se atrasar pra escola, o passeio matutino do dog, o café da manhã com marido... O carinho de bom dia... Hoje seria cada qual pra seu trabalho. Volta correndo pra almoçar junto, ou se encontra pra almoçar. Ou almoça sozinho... Pega Bia na escola, leva no violino, corre de um lado pro outro, faz mercado, se organiza, arruma a rotina... Coisas cotidianas, normais de uma vida em família. 

Passeio noturno do dog e muita conversa.

Lanche da noite.
 
Conferida no material da pequena.

Mais conversa...






saudade

 

20 de maio de 2015

Lava e seca LG? NÃO CAIA NESSA! E outras coisas no pacote

Todos temos uma tia leia-se alguém mais velho, de uma geração anterior que tem por hábito pagar caro em determinadas coisas pra que durem uma eternidade.

Prazer, sou dessas! Detesto tem que recomprar coisas úteis. Fico extremamente irritada com isso. Pois bem, vamos à reclamação do dia.

Montamos a casa a 2 anos e 2 meses aproximadamente utilizando o princípio de que estávamos adquirindo coisas de qualidade superior para não ter que gastar novamente em um curto espaço de tempo. Geladeira, máquina de lavar e secar roupas, fogão, máquina de lavar louças, batedeira, liquidificador, camas, colchões...

Aí começaram os problemas. Vamos colocar no pacote e fazer queixa e recomendação que tenho o que fazer da vida.

Recomendações 
Ok, usamos muito o liquidificador, marido mandou consertar e lá se foi R$ 20,00. Preço ok! Tranquilo. Já tivemos problema com a pipoqueira que Bia ganhou anos atrás mas a empresa trocou e me ganhou forever! Além da minha megalindaultrapower cara batedeira planetária. Nome da dita cuja? ARNO  <3

Até agora a minha lava louças tem dado conta do recado. Pequena e funcional, pra mim pequena demais, mas creio que já comentei isso por aqui. Mas posso dizer uma coisa? Eu sou apaixonada pelos eletrodomésticos dessa marca. Tive uma geladeira que chorei pra vender que deve estar até hoje na casa da mãe do colega, funcionando direitinho. E a lavadora de roupas? Foi a minha primeira e durou bastante, foi até pra casa da mãe e ela vendeu quando saiu de Salvador. Deve estar funcionando também uns 8 anos. Ah, meu micro-ondas também é ótimo e não deu problemas até hoje. Qual a marca que haverei de ter todos meus eletros??? ELECTROLUX! Sim terei um dia todos os eletrodomésticos dessa marca. 



AGORA OS PROBLEMÁTICOS
QUEIXAS

Compramos um fogão que tem grill, timer e toda sorte de nigrinhagem. Preço justo. NUNCA funcionou direito o timer. O grill se você não tem muita paciência, DESISTA! E a 1 ano aproximadamente apareceu um ponto de ferrugem. Mari, voltaram pra Bahia? NÃO!!! Moro a pelo menos 1000KM do mar... Nome do infeliz? DAKO! Justiça seja feita, se você tem força e paciência de acender o forno, ele é muito bom, rápido. Fora isso...

Geladeira é boazinha. Antes de completar 1 ano veio o primeiro sufoco com ela (num fim de ano pra completar e nós com visita em casa). Não aguentou o tranco do calor em Três Lagoas/MS lost para os íntimos. Congelou o freezer e tivemos que implorar ao técnico uma visita urgente. Detalhe, uma frost free tá? Nada demais, vocês descongelam, esperam escorrer toda água e aí liga de novo.  Simples assim! 1 ano depois... De novo. Fiz a mesma coisa, mas já em Ilha Solteira/SP e após descongela, espera escorrer a bendita voltou a funcionar, mas o desgaste é chato mesmo. Marca GE.

Agora vou escrever sobre ela, o motivo da minha irritação. A Lava e Seca LG WD1485AD que no primeiro ano foi minha grande companheira. Mentira, era até outro dia, mas isso de ir parando, parando e desligar total foi u Ó. Não pelo fato de que eletrodoméstico tem que durar a vida inteira apesar de que eu gostaria muito disso, mas é que é um bem durável. Com obsolescência programada né? SACO! O motor tem garantia de 10 anos. Mas pra que se a PLACA ELETRÔNICA queima? Ou melhor, queima um fusível e você tem que trocar a placa toda!!!! O preço? Vamos por partes. O técnico que verificou disse que o conserto é na casa de  800 pilas, conto, pratas, dilmas isso mesmo. Aí você procura na internet e descobre que... tchantchantchanrãããããã PARARAM DE FABRICAR O MODELO. Isso significa que você é um idiota, que seu dinheiro não vale nada e eles podem sambar na sua cara dessa forma. NÃO, NÃO E NÃO. Não aceito, não concordo e não vai ficar assim. Estou tentando contato com a LG, vou no Reclame Aqui, no Procon, na PQP mas isso não ficará assim. É muito dinheiro, e pelo que vi na internet, muita gente prejudicada por um produto de má qualidade. Não vou ficar com esse prejuízo! Aguardem...

Tô furiosa!!!! 

Fora a lava e seca que me deixou muito brava, pode ser que as outras marcas tenham produtos de boa qualidade. A GE por exemplo tinha uma lava louças maravilhosa, que funciona até hoje na casa da sogra ;)






 

15 de maio de 2015

Agora é pra comemorar!

Sobrevivi! PQP que período de trevas passei... passou! Tenho até medo, pq foi numa dessa que me dei mal uma semana depois buáááá

Até a aula de moto que tava rolando de boa deu zica ontem :( escorreguei na brita e lá se foi o pé no chão pra se equilibrar e o joelho dar pití de noite... Mas já avisei "eles é grande e eu sou ruim!", vou tirar a zorra da A por bem ou por joelhos a menos. Vou me realizar e finito!

Me fizeram uma surpresa que fui às lágrimas durante uma aula onde só fui tirar foto. Os alunos começaram a bater parabéns e eu completamente desnorteada não sabia se ria ou chorava. E depois os abraços... uma fila :)

E depois de novo. Mais uma vez bateram parabéns pra mim, alunos e colegas. Obrigada! Lágrimas e fotos, muitas fotos. Não resisti a nenhum dos dois.

E bateu saudade de novo. Muita.

De tarde rolou bolo meu e do bróder que além de colega, divido a casa. Sim divido a casa com dois colegas do sexo masculino, e??? Nada! Me divirto, fico brava... uma irmã mais velha vamos combinar que hajo muitas vezes como mãe, mas como não tenho idade pra isso então bora manter a fraternidade que é melhor,rs. Mas antes do bolo fomos os 3 comer lá na churrascaria mais punk que conheço ok, a Fogo de Chão é outro nível, tô falando das churrascarias de mortais comuns, tipo eu. Ganhei uma carteira vermelha lindaaaa! Morre de inveja mesmo, mas que fique pra vc, quero não brigada! E já armei toda e já saí usando...

Mas creio que o mais legal foram algumas descobertas que fiz. Coisas pessoais, sempre buscando melhor. Aprender a desapegar, deixar a vida fluir como tem que ser, observar o que faz bem e mal, as perspectivas, as frustrações e manter a fé de que tudo vai se ajeitar para o melhor. E sigamos a vida. 

Até mais ;)

 

14 de maio de 2015

Senti mais que domingo

A noite foi das mais longas. Daquelas que não acabam nunca sabe? Que você se revira e vira a noite inteirinha? Foi assim. 

Acordei procurando o celular pra dar o confere e lá estava o Feliz aniversário que eu tanto queria receber. Mas queria pertinho, junto. Sentir aquela respiração perto da bochecha na hora do beijo. E o bater de palmas? E o parabéns? Hoje será um dia de barulho diferentes. Sem o som do sorrido do meu bb :(

Domingo foi difícil, mas é uma data comercial então nem me abalei muito, senti mais falta das 'homenagens'.

Fui dormir sozinha num colchão devidamente arrumado com um jogo de cama limpo e novo. Acordei me sentindo mais só ainda. Saí à rua pra tomar café na padaria do lado de casa e vi a rua completamente vazia. Aí bateu a deprê. Queria o marido do lado, indo comigo comer sem comer na padoca. Queria Bibia na correria da ida pra escola e no retorno a surpresa do parabéns.

Hoje ainda terei bolinho aqui no trampo, moto pra ser feliz atualmente a hora mais feliz e esperada por mim, pilates pra esticar a véia e quem sabe um cassino com karaokê pra bebemorar...com os colegas. Mas só me sentindo sozinha. Pra ficar registrado, odeio que falem comigo por obrigação social. Me poupem por favor pois a minha intolerância atinge níveis absurdos com esse polimento social.

Só queria de presente estar com os meus na minha casa. Acordar na minha cama, tomar café na padoca perto de casa, almoçar junto, bater parabéns junto e ir dormir ao lado de marido. Só isso. Esse seria meu maior presente.

Quem sabe no próximo estejamos juntos? Se for no próximo aniversário será no de Bibi há de ser... que os astros conspirem e não me pirem.

Que comece meu novo ano novo!

8 de maio de 2015

Inteira

Depois de vários dias pensando em escrever sobre... e sobre... e sobre... parei para fazer agora pois preciso desopilar.

Deixa eu começar de novo. DD parabéns! Não esqueci, apenas me isolei um pouco por motivos nobres e com isso não te mandei mensagem. Você é meu e boi não lambe! Tu mora no meu coração pra sempre.
 
Agora sim, continuemos.

Sou uma pessoa dada aos vícios.             A D O R O ! ! ! 

Por isso desativei o face. Também por isso parei de beber refrigerante. E a uns tempos atrás saí da colheita feliz, desinstalei o candy crush, parei de fumar... E passado o susto e as caras de Mariana surtou de vez vamos aos fatos.

 Eu estabeleci metas a médio prazo e sei o custo de chegar 'lá'. Pra isso preciso de novo entrar numa agonia louca. Foco. Determinação. Disciplina... aí que pega. E nessa pegada que entra a desativação do face, desinstalação de um monte de APP's no celular e a parada no refri. Pode parecer meio sem nexo tudo isso mas esmiuço.

Quando tenho que parar algo, OBRIGATORIAMENTE, tenho que interromper bruscamente. Não consigo ter o meio termo. Não evolui o suficiente para tal, então mudanças são necessárias em alguns momentos. Decidi que o cuidado com a saúde é necessário e o consumo do refri me faz mal a todos nós,mas... logo parei de vez. Perco muito tempo divagando no face, tomando conta da vida de quem não me interessa, expondo minhas opiniões francas demais e criando situações desgastantes pra mim em diversos momentos... Parei! 
Tô na pegada do AA, um dia de cada vez

Meio Rita, meio Fernanda...

E o inferno astral? Alguns me perguntariam... Tá aqui. Firme e forte. A disputa com esse período tem sido ombro a ombro. Briga de gigantes. Antes que alguém pense 'ai que exagero' vou listar alguns acontecimentos:
Fiz meu óculos depois de 4 anos esperando mais um mês, mais um mês hehehe e quebrou com menos de um mês de uso :(
Meu celular teve uma queda boba e quebrou o vidro traseiro mais de uma centena de reais pra trocar e vou ter que esperar pra arrumar pois não tem autorizada próxima :'(
Semana passada fui pra casa 900km, 16h de ônibus blablabla e ônibus quebrou. Não só uma vez. DUAS vezes na ida! E deu alguma merda na volta, além de muita chuva e neblina, o que me atrasou mais umas 6h :"(

Nem vou continuar pra vc não chorar junto, rs... Mas tá puxado. 

Sigamos em frente que não águas passadas não movem moinhos.

Uma coisa boa mas marido discorda veementemente hahaha estou adicionando a categoria A na CNH (*_*) e realizando um sonho. Na verdade a realização vai ser quando eu comprar a minha moto motão, mas como vai um tempo até lá então me contento, a princípio, em dar rolé na moto da autoescola. E vou dizer, fácil não está sendo. Fazer o corpo entender os comandos diferentes do carro, a mente aprender a controlar o corpo, o peso da moto, superar o medo de se machucar já que só existem dois tipos de motociclistas: os que já caíram e os que vão cair hahahaha ;-) Mas tem uma coisa bem gostosa de lembrar, e ajudar a manter a meta que é o que prometi a Bia, quando ela tinha uns 4 anos, que quando ela fizesse 7 anos eu tiraria a carta A pra levá-la pra passear de totu. Ela está quase com 9 e a promessa foi cobrada algumas vezes. Como eu tenho uma só palavra... Toda vez que falo que vou pra casa ela pergunta se vou de moto rs... nem está ansiosa hein? Mais que eu quase.


E como disse Luiz Miranda em Meu nome não é Jhonny: 
'Eles é grande, mas nós é ruim!'
\,,/











12 de abril de 2015

Não existe coincidência, não pra mim

Aqui, a 900km de casa, num tédio típico de final de semana, contando os dias pra ir pra casa e resolvo escrever no doida. Aí meu colega coloca Zé Ramalho pra tocar, justo Chão de giz

Estava um pouco P da vida com isso de ter que ficar longe, uma sensação de injustiça sabe? Mas caí em mim. Isso é saudade. Saudade da rotina da minha casa. Das atividades de final de semana com a pequena e com marido. Ontem senti falta de passear com Nero. Vi um cara dando um rolé e senti falta do negão, dos nossos piques de corrida só pra sentir o coração acelerar. 

Estude! Ouço marido dizendo isso na minha cabeça quando fico assim, mas não quero estudar. Tô cansada, de saco cheio, com saudade e ansiosa. O final de semana é mais difícil. Muito difícil. Só consigo pensar que quero voltar pra casa. 

Entro nos grupos virtuais de permuta a cada meia hora e meu coração dispara toda vez que vejo uma nova postagem. Mando mensagem pra pessoa, falo com marido da possibilidade, começamos a fazer contas de quilometragem, ver ônibus, tempo de locomoção e... nada de novo. Porra velho! Não quer fazer a merda da troca não faça isso. Isso machuca e frustra quem está na expectativa de retornar. Ah, mas vou ver, vou conversar com (?), estou pensando em outra coisa, pode ser mas não sei... PQP se você não tem interesse não sacaneia com quem quer. Dê um retorno, uma resposta justa. Seja claro: 'prefiro ir pra mais perto, mas se ninguém aparecer te retorno.' ou 'não tenho interesse.'. Só uma resposta. E não 'ah, já que vc apareceu vou ver com a pqmp se ela vai estar de tpm na semana x e se Júpiter entrará em confluência com...' Vai se F%$*&. Vai minando a cada resposta a expectativa de conseguir voltar. E não dá ânimo pra mais nada. Nem pra estudar. Se você reage de forma diferente problema seu, eu me sinto assim.

E pra fechar a trilha sonora alguém fora de casa começa a ouvir Roberto Carlos que diz '...nunca se esqueça nenhum segundo, que eu tenho o amor maior do mundo...'. Tá certo RC...

Ou será que o inferno astral que se aproxima já está emanando seu poder? Coincidências não existem. Não pra mim. 




18 de março de 2015

Mais um dia

Os dias estão se prolongando demais. Cada dia tem sido mais difícil. São muitos talvez e nenhuma certeza absoluta. A única coisa que consigo pensar é que essa mudança vai acabar e vou voltar para casa. Para o meu lar. 

Tenho ficado muito sozinha, evitado conversar pois sinto que estou belicosa e nem todos merecem esse meu estado de espírito. Mas está duro, infelizmente.

Hoje faz um mês que estou aqui sozinha. Sem os meus. Primeira vez que fico tanto tempo longe de todos. E não estou gostando, muito pelo contrário.

Semana que vem teremos mais uma primeira vez em uma dúzia de anos. Não poderei estar , sinto muito :'-(

Tento me agarrar nas possibilidades de volta mesmo a saudade estando a me corroer e não me dando descanso nenhum. 

Eu vou voltar. Eu preciso voltar. 

"...ela espera ver aquele caminhão voltando
de faróis baixos e para-choque duro..."


12 de março de 2015

Não está sendo fácil

Eu sabia que ia ser difícil a princípio, mas não tanto. Tá foda!Ia trazer todos pra cá, mas por motivos que me deixaram muito P, desisti. 

Não aceito discriminação, injustiça e afins. Desculpa se incomodo, mas nasci pra isso mesmo. Não vou mudar e muito menos aceitar a conveniência alheia de só enxergar os outros quando lhe são úteis. Nem vem que comigo isso não rola. 

Mas me enxergarem e descobrirem que sou ser pensante, e se assustarem,  é prazeroso. Mas informo que não preciso provar minha inteligência a ninguém.

O problema é que isso não me fez bem.  Meu desespero pra ir embora está me consumindo. Até quanto vale essa agonia? Não sei se resistirei muito, mas vou tentar. Vou buscar forças nos dias de espera por uma nomeação. Vou cavar esperança dentro da angústia por cada resultado em que bati na trave... Não quero desistir agora. Cada dia é um novo dia e vou continuar tentando não desistir. 

Me apego no não moro aqui, só trabalhoRepito como um mantra diversas vezes ao dia. Não tenho tanta força quanto imaginava. Estou tentando manter a fé de que vai melhorar, preciso acreditar nisso para não desistir de tudo.


8 de março de 2015

Único de doze

Esse é o primeiro. 
Quem disse que mesmo depois de tantos anos não existe uma primeira vez?

Primeira vez que não estaremos juntos. 
Primeira vez que não acordei ao seu lado e recebendo um bom dia com um sorriso. 
Primeira vez que não tenho o quê fazer hoje. 
Primeira vez que o dia das mulheres se tornou apenas o dia das mulheres. 

Mas é assim né? É assim que demonstramos o quanto somos adultos e temos que viver a vida não quero mais ser adulta

Amarido, marido, môri, môr, benhê... saudade. 

Foi mal mas hoje não dá pra comemorar.

Mas a Felicidade de Marcelo Jeneci me acalenta:

"(...)Tem vez que as coisas pesam mais
Do que a gente acha que pode aguentar,
Nessa hora fique firme pois tudo isso logo vai passar,(...)"


Open your eyes...t'amu!


18 de fevereiro de 2015

Vamos um dia nos reencontrar

Sim, vou sentir falta de detalhes da região. Tucanos cruzando a estrada. 

Araras na grande maioria em par voando e fazendo muito barulho.
Dos amigos tão queridos, feitos numa fraternidade tão linda. 
Tão imorais #sqn piada interna.

Aquele mato no horizonte 'reto', plantação de cana ou de churrasco.



Saber que mais 'pra cima ' tem o pantanal, ou mais 'pra fora' a maior capital do país (leia-se onde tem tudo, inclusive família).



Mas deixar minha filha e meu cachorro é o mais difícil. Ela por ser parte de mim, ele por amar todos sempre, incondicionalmente.



E as noites serão mais longas. Os dias custarão a passar.



E o que dizer dos 'meus meninos'? Meus filhos de fim de semana? Não acompanharei de perto a progressão deles, nem seu desenvolvimento. 
Mas jamais esquecerei das tropas, de quão importante são e de como conseguem ser tão melhores a cada encontro. Cada elemento tem pra sempre um tiquinho de mim, ou serei eu que terei eles em mim pra sempre? Sempre Alerta!



E o convite inesperado? Grata Gabriel e Ana Laura, não recusaria jamais a honra que me deram, mas os caminhos da vida alteraram o nosso percurso. Sirvam sempre alerta!



'...Quem sabe um dia amigo eu volto a te encontrar?... '



'...Não é mais que um até breve, não é mais que um simples adeus, bem cedo junto ao fogo voltaremos a nos encontrar...'



15 de fevereiro de 2015

Longe é lugar

Que existe sim!

Nem me venha com essa de que 'ah Mari...', não! É longe mesmo.

E quando você já começa na pegada rocker do processo? Não basta morar a centenas de quilômetros, tem que barbarizar.

Primeiro retorno pra casa já foi aquela agonia com direito a falar pro bróder da rodô 'eu vou sair daqui nem que seja a pé'. Esqueceram de me avisar, após 3 visitas à rodoviária, que é necessária a compra da passagem com pelo menos 2h de antecedência. Como assim??? Eu não tinha comprado não por desleixo, mais acima afirmei que fui 3x na bendita, mas por não saber que dia ia viajar.
Enlouqueci e rodei a baiana. Ali já sabia que minha chegança já tinha marcado àquela região...não me guento! Risadassssss

Não haveria direto pra casa, mas pra 260km de lá... Claro que eu ia, já estaria em Sampa, aí me viro. Mas o buzu não ia entrar na rodoviária a menos que conseguíssemos fazer o motô me enxergar fazendo sinal na porta da rodoviária pra ele entrar à esquerda e parar na rodoviária. Sim, isso mesmo que você leu... após ter trocado de roupa no banheiro da rodô após um dia de trabalho sem banho, eca ainda ia ter que laçar o buzu na BR. Oxi, qual o problema disso? O buzu entrou e lá fui eu pra o primeiro trecho de uma looonga viagem.

Arranjei uma psicóloga social que ficou trocando ideias horas comigo sobre as questões do mundo e assim chegamos após 12 horas na minha primeira parada. 

'pelamordedeus motô libera aquela roxa que preciso comprar a passagem que o buzu sai daqui 20 minutos' já nem lembrava do tempo mínimo pra comprar a dita cuja, mas ali eu sabia que o buzu ia entrar.

Arranjei outra figura. 'Calma menina, vai dar certo, vou lá trocar a minha passagem que é pra esse mesmo ônibus, deixa a mala aqui com meu filho pois é lá em cima o guichê'... e nessa paz lá fui eu com a criatura comprar minha passagem. Aí o susto, a fila estava imensa. Perguntamos se poderíamos passar até que um rapaz explicou que o ônibus só sairia quando liberassem de lá do guichê, ufa!

Quando comprei a passagem ouvi o rapaz da empresa informar que a minha tinha sido a última daquele horário, outro só dali 10 horas! 

Me agarrei na sorte, afinal depois da próxima parada só faltariam mais 60km pra chegar em casa.

Descemos mais calmas e conversando muito. Chegamos para colocar as malas no ônibus e ouço o cara que estava conferindo as passagens 'iiiii esse é menor, vão faltar 4 lugares, erraram o modelo do ônibus'. Juro que nem entendi de tão cansada e ansiosa, mas o motorista explicou que teríamos que enfrentar coisa de 2 horas em pé ou sentados no corredor ou aguardar mais 3 horas pra chegar outro ônibus com a quantidade certa de lugares. Eu, uma das prejudicadas disse que queria ir pra casa apenas e aguentaria sentada no corredor. Todos que iriam aceitaram, reclamando,mas aí seriam no meu caso 5 horas a mais...não, eu precisava ir embora!

Um rapaz cedeu o lugar e sentei, quando um brutamonte ignorante começou a reclamar de que ele havia comprado a não sei quantos dias, que era direito ir sentado, que não deveríamos aceitar. Aí eu cansada e irritada não me dei e questionei o motivo dele esperar todos entrarem no ônibus pra reclamar, que deveria ter feito antes e tivemos uma curta discussão passando por 'meu dinheiro é igual ao seu, concordo que nosso direito era sentar, podemos reclamar na ANTT...' até que levantei e disse a ele 'se o problema é a cadeira, sente, pois quem já está a 12 horas na estrada e quer chegar sou eu, vc acabou de sair de casa e já está tão cansado, pode sentar...' 

E avisei que ninguém ia descer, sentei no meio do corredor!

2 horas depois chegamos em Dracena, um pessoal desceu e eu sentei. Chegamos em Andradina e minha jornada tinha quase terminado...
Marido me buscou e viemos pra casa. 

Longe existe, mas estou temporariamente de volta pro meu aconchego ;)








9 de fevereiro de 2015

É cedo, ou tarde demais...

'...pra dizer adeus, pra dizer jamais...'

E foi assim. Longos anos escrevendo sobre coisas sem sentido ou não, com humor e muito mal humor, desabafos, angústias e frustrações. Houve bons momentos. Amor, saudade, alegrias, comemorações... Dicas, e nisso me tornei quase especialista.

Agora terei que definitivamente diminuir o ritmo, quem sabe até parar o doida de casa. 

Lá trás quando me senti perdida no meio de uma várias função que jamais teria imaginado exercer um dia mãe, dona de casa, esposa o blog serviu de apoio. Meus amigos sempre estiveram por perto, pude aprender tanto e desmistificar tanta coisa que nem sei mais se perdi ou ganhei durante esses anos.

Ganhei ter minha filha por perto mais tempo e poder acompanhar com mais cuidado seu desenvolvimento como se pra isso eles precisassem de pais pra isso
Aprendi que não precisamos nos matar pra limpar pra ter uma casa feliz
Que por mais organizada que eu tente ser, é na bagunça organizada que mantemos pequenas lembranças. 
Aprendi a ter cachorro, amá-lo e ser muito amada por ele.
Aprendi a receber as pessoas em casa e gostar de tê-las por perto.
Aprendi a respeitar o tempo das coisas.
Aprendi que ninguém é suficiente sozinho.
E que ninguém é insubstituível.

Uma nova etapa está começando para mim nós. E teimo em tentar me precaver contra imprevistos. Mas o que será que vai acontecer? Não sei. 

O Sul... daqui a pouco já posso dizer que morei em todas as regiões do país. Só faltará o Norte.

Serão aproximadamente 870km traduzidos em 15 horas e 40 minutos de ônibus de um lugar que pra mim se chamará saudade

Mas vou lá só trabalhar. Minha casa continuará sendo aqui em Ilha Solteira, São Paulo, juntos dos meus. 

Fui buscar a música que insiste em tocar na minha cabeça e não segurei o choro, afinal Canção da despedida pra mim tem mais que um sentido... 

'Pra quê perder a esperança de nos tornar a ver...

Não, peraê, é a outra...

'Já vou embora, mas sei que vou voltar. Amor, não chora, se eu volto é pra ficar. Amor, não chora que a hora é de deixar...'


Me espera que eu volto logo, e sempre!
Bia, cuida da vovó.
Nero, ame todos bastante.

30 de janeiro de 2015

E quando você se dá conta

Que vai ter que deixar tudo. Esquecer o conforto da família. Ser forte na hora da partida. Enfrentar seus medos e fraquezas sozinha.

Não tem como evitar que escorra uma lágrima ou uma enxurrada delas

Aí você percebe que nunca, nunquinha, ficou só. Que sempre teve alguém ao seu lado. Que por pior que tenha parecido, nada, absolutamente nada, se parece com o que se desenha hoje.

Quando falo/escrevo sobre o que vou passar muito em breve, sinto os músculos do meu ouvinte/ledor se retesarem. 

Antes eu ficava, aguardava o retorno. Hoje sou eu que vou. Que terei horas pra chorar, imaginar o inimaginável e aguardar o improvável.

Fé? Sim eu tenho, senão não iria. Medo? Claro! Quem não tem? 
Me peguei pensando em pessoas que viajaram além mar e ficaram bem. Me apego nisso. 

E ser consolada por quem sempre consolei? Pessoas tão distantes que vibram positivamente, após se recuperarem do susto, para que seja feito o melhor por mim? Ou melhor, por nós! Ler lindas palavras, sentir um afago via mensagem... 

Mas é isso né? Levantar a cabeça, engolir o choro, enxugar as lágrimas e aguardar que o melhor está por vir.

22 de janeiro de 2015

Construção

Quando decidi ir com marido pra onde ele fosse eu não tinha muitos planos pessoais individuais. Apenas a nossa família me importava.

Dificuldades, cansaço, uma graduação e 4 anos depois cá estamos. Bia com 8 anos, mamis morando conosco, 2 estados depois... Depois... o que será o depois?

Aguardemos. Fé e esperança me movem.





4 de janeiro de 2015

Continue a nadar

Não. Não. E não.

Não sumi, não abandonei o blog e não vou acabar com ele.

Nem sei quantas vezes me peguei escrevendo mentalmente por aqui. Quantos assuntos abordei e discussões sobre um mundo de coisa. Mas me mantive distante. Precisava fazer outras coisas que eram mais urgentes e aquele texto já não faria mais sentido pra mim.

Não preciso dizer que o blog ainda é uma coisa muito egoísta minha né? Desde que Miss Cris não aceitou o convite de escrever sobre Ilhéus, eu abdiquei de tentar dividir a minha criatura my precious.

Mas vamos à retrospectiva 2014 pós junho.

Comecei a me dedicar mais aos concursos, voltei a trabalhar, mamis veio morar conosco, mamis teve um AVC, marido quebrou o dedão do pé, recebi de um amigo um presente lá da Bahia thanks Denny, Bia fez sua estreia no teatro, Bia se apresentou 1, 2, 3, 4 vezes...lindamente,teve o acamps do grupo escoteiro, conheci Little London, fomos ver o natal de Sta Fé do Sul, comprei minha câmera, Nero fez 2 anos, tive dengue...

Sim, tiveram mais coisas que aconteceram, mas por enquanto é isso. Ah, e não está na ordem cronológica. Apesar da dengue ter sido o último episódio do ano rs.

Peraê que não acabou. Faltaram as resoluções de ano novo! Fiz apenas uma: SEM RESOLUÇÕES!

Tenho alguns desejos, mas nada de loucuras por favor. Desejo conseguir me alimentar melhor, estudar mais, realizar algumas viagens, mas são desejos. Nada que se não acontecer ficarei com aquela sensação de 'ano perdido', por favor. Já passei da idade de pensar assim falou a balzaca ;)

Bora viver? 

Continue a nadar, continue a nadar