31 de julho de 2016

Festejar ou ajustar a vela?

4 anos desde a primeira postagem.

De lá pra cá já mudei 5x de casas, cidades, estados e mais vezes ainda de ideia.

Cheguei onde o sonhei a 6 anos atrás. Morar em Curitiba! Saldo disso? Muito prazer e muita frustração.


Ter tudo!!! E ter opção pra tudo! Isso é o que mais me encanta em voltar pra uma cidade grande. Seja opção de mercado, de farmácia sou narcodependente sim, ou já esqueceu da fibromialgia?, comprar orgânicos, comidas deliciosas...

O lado ruim? O medo. Medo de ser assaltada, medo de estupro, medo de sair à noite. O medo é o pior. Mas não se engane, eu não sou frouxa e nem flor que se cheire. Outra coisa que me surpreendeu negativamente morando em Ctba, pegar buzu. Gente, é F$&@#$ mesmo em Curitiba! Funciona, mas é complicado. Aquela onda dos tubos é de deixar a gente tonto. Mas tô me virando com um app o Moovit. Às vezes ele erra o horário do ônibus, mas geralmente funciona bem.

Outra coisa que aconteceu que P-R-E-C-I-S-O compartilhar. Nunca imaginei que ia me sentir constrangida em entrar em algum lugar. Já fui em restaurantes, hotéis e festas vip's (tenho bons contatos,rs) mas entrei num shopping aqui e quase girei nos calcanhares, explico.

Programei minha sexta pra ir no dentista de manhã, almoçar no shopping que é caminho e seguir para uma consulta. Até aí beleza. Desci do buzu e vi o dito cujo. Me lembrou o de Ribeirão Preto com muito vidro etc. Vi que o movimento estava fraco pra hora do almoço mas... Passei por 2 (duas) portas automáticas e um me deparei com um vão e um silêncio...Olhei para os lados vi algumas pessoas e lojas e mais lojas de grife. Digo novamente: LOJASSS DE REVISTA DE FAMOSOS E RICOS!

O que passou na minha cabeça na hora? Não ia ter uma praça de alimentação pra classe merda que nem eu. Passado o susto inicial, não tive coragem de me aproximar das vitrines pois sei que ali iam ter itens básicos pelo preço do meu salário bruto já com gratificação e transporte. Pra me incomodar mais ainda tinham carros expostos (Ferraris, BMW's, Audi's...). 

Sabe outra coisa que aconteceu? Os seguranças me acompanhavam com os olhos o tempo todo. Não estava desarrumada mas era a única afrodescendente no shopping. A não ser as pessoas que estavam de segurança, na limpeza... Mas não me intimidei por não estar com calça de marca, nem casaco da moda... fui dando uma volta (procurando uma escada rolante,rs) e vi uma loja de departamento mais phyna em promoção, entrei sim! Olhei, e quando saí tinha um segurança na porta me olhando. Segui meu rumo e subi a primeira, a segunda e avistei uma marca mais popular e vi a placa da praça de comida. Subi e tcharãããã! Muito lugar vazio, ok, mas tinha lanchonetes e restaurantes com preços de shopping mesmo. Escolhi, comi e fui dar outra volta pra matar  horário. Dava pra bater baba no shopping de tão grande e tão vazio que estava em plena sexta-feira em horário de almoço.

Vamos aos fatos:

Sim, sinto que sou discriminada, as pessoas me olham estranho muitas vezes inspiro medo/receio.
Sim, puxam a bolsa pra perto quando me sento, ou passo próximo.
Sim, seguranças me acompanham com os olhos (ou tão de perto que se assustam quando viro e dou de cara) dentro de lojas.

Mas...
Sim, existe amor em Ctba.
Sim, existem pessoas maravilhosas.
Sim, são fechados, mas nada que uma gracinha (ou leseira) não amoleça um coração aqui, outro ali.
Sim, é frio.
Sim, tem flores/sakura pelo caminho.
Sim, escolhi viver aqui.


Sim, aceito o que vier pra minha vida.