27 de maio de 2017

Continuando

Muitas vezes criamos expectativas sobre as coisas e não conseguimos dar conta do recado ou nos embolamos tanto que aquilo que era mega urgente deixa de ter sentido e a forma de encarar muda radicalmente.

Sábado e eu querendo dormir até umas 9h pelo menos e comecei a ouvir as unhas de Nero batendo inquieto pra um lado e pra outro, isso eram 6h30! Me segurei até às 7h e desci pra rotina dele e de Zeca. Passeio matinal, rolada na grama, corridinha e agora estão os dois roncando ao meu redor.  

Quando voltei com eles do passeio fiz as coisas corriqueiras, estender roupas, tirar lixo... e enquanto tomava café me peguei pensando o que eu faria com tantas horas mais disponíveis até o dia começar efetivamente. Estudar está na lista de prioridades (afinal uma pessoa que não tem o que fazer faz 3 cursos on line e se matricula em mais 1 pra começar daqui a 1 semana), preparações diversas para outros caminhos, organizar mentalmente o saldo da semana no trabalho (isso inclui tudo que vi, ouvi, absorvi e desprezei rs) e deletar o que for de ruim no resto do meu mundinho. Preciso fazer isso pois o sofrimento com tudo que está acontecendo no Brasil me desgasta demais. Tenho náuseas, enxaquecas e uma irritação profunda onde não consigo me controlar emocionalmente, logo tenho que evitar.

Mas voltando pra o início do texto, ainda tenho que arranjar uma solução para o jardim não jardim que tenho aqui, esse mato me deixa agoniada, mas a ideia de plantar, mexer com terra, etc não está cabendo nas minha prioridades. Devo ter uns temperinhos, umas coisas simples e só. Nada de muita demanda que exija tempo (coisa muito rara pra mim hoje). Voltei a minha mania metódica de ser (hora pra tudo) senão não consigo dar conta. E olha que mesmo assim tá osso.

Hoje particularmente sinto mais saudade de minha cumadre Cris. Aquelas horas intermináveis de falar besteira, comer, beber e rir. Parece até que o texto é uma conversa entre nós duas. Saudade de vc tá? Beijo na minha dindinha.

Até mais pessoas.

18 de maio de 2017

15 de maio de 2017

Minha primeira vez

Nunca tinha ido a uma festa sem tomar umas. Ainda mais véspera do meu ano novo. Nunca antes,rs... Nem me venham com 'mas não precisamos de nada pra nos divertirmos' fale por você, pq eu goxxxxto kkkkkkkkkkk.
Primeiro, ficar de pé sem porre não é legal - ou não tenho mais idade pra festivais. 
Segundo, estar de moto é de fuder pois estaciono rápido e voltamos mais rápido ainda pra casa rs.
Terceiro, cheguei aos 34. 
Lataria batida, precisando reformar umas coisas, mas continuo aqui, na batalha. Suspendi o álcool por motivos mais que necessários - mudei a alimentação, reduzi (estava em zero mas não consegui) muito os remédios pra fibro e pra dormir e uma cachaçada a 1m atrás me derrubou de um jeito que eu não contava. Ok, o fígado não é mais o mesmo, eu sei, estou tentando recuperá-lo e pra isso preciso de um tempo
Mas vamos pra parte boa da parte ruim, sei lá rs. 
Coloquei uma meta até ontem e consegui batê-la. Meu presente eu me dei!
Agora vamos partir pra outra meta, afinal o ano acabou de começar e precisamos de motivação sempre. 
Happy new year!